II Liga

29-12-2011 22:29

Moreirense e Naval empatam a um

O Moreirense procurava voltar às vitórias, depois de ter perdido o título de "invencível" em casa com a derrota a contar para a Taça de Portugal com o primodivisionário Nacional e já nas grandes penalidades.
Moreirense e Naval empatam a um

Por Sapo Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

Moreirense e Naval 1.º de Maio empataram esta quinta-feira a um golo, no encontro de encerramento da 13.ª jornada da Liga de Honra em futebol, disputado em Moreira de Cónegos.

Ricardo Fernandes foi o autor do golo dos locais, mas Edivaldo Bolívia conseguiu empatar já na segunda parte e fazer acreditar na possibilidade de uma reviravolta contra uma equipa que jogou mais de 50 minutos com menos um jogador.

O Moreirense procurava voltar às vitórias, depois de ter perdido o título de "invencível" em casa com a derrota a contar para a Taça de Portugal com o primodivisionário Nacional e já nas grandes penalidades. Uma vitória transportaria os minhotos para o segundo lugar da classificação à frente do Leixões e do Atlético.

Por sua vez, a equipa orientada por Daniel Ramos procurava ficar colada aos primeiros lugares e ainda com a perspetiva de "subida de divisão" no horizonte.

Começou melhor a equipa da Figueira da Foz, com um futebol mais agressivo e mais focado na busca do golo, mas acabou mesmo por ser o conjunto de Jorge Casquilha a criar real perigo em primeiro lugar. Fábio Espinho rematou ao lado, quando o guarda-redes figueirense já estava batido e a baliza aberta (12 minutos).

A resposta surgiu por intermédio de João Pedro, após passe de Williams, aos 17 minutos, mas Ricardo Andrade evitou o golo dos visitantes.

O marcador acabou por ser inaugurado por intermédio de Ricardo Fernandes que, à segunda tentativa, conseguiu bater Taborda (26 minutos), após canto marcado por Fábio Espinho, na esquerda.

O Moreirense foi para o descanso a vencer pela margem mínima e com a Naval 1.º de Maio a pressionar muito, beneficiando do facto dos locais estarem reduzidos a 10 jogadores após expulsão, por vermelho direto e a castigar falta dura sobre Edivaldo, de Filipe Gonçalves (40 minutos).

Na segunda parte, a Naval procurou o golo do empate ainda com mais afinco e apostou ainda mais no ataque direto e no futebol construído, enquanto o Moreirense se limitava a criar perigo através de jogadas de contra-ataque e explorando espaços deixados na defesa adversária.

Roberto, aos 69 minutos, atirou contra o corpo do guardião vimaranense e, aos 70, foi a vez de Giuliano disparar para fora.

O golo do empate acabaria por surgir com naturalidade com o boliviano Edivaldo a terminar da melhor forma uma "tabelinha" iniciada por João Pedro e Roberto (72 minutos).

Apesar da inferioridade numérica, o Moreirense reagiu bem ao golo dos visitantes. Castro, aos 77 minutos, rematou com força de fora da área, mas a bola saiu pouco ao lado da baliza defendida por Taborda. O “capitão” minhoto repetiu a tentativa, aos 81 minutos, na cobrança de um livre, voltando a errar o alvo.

A partida terminou com a Naval 1.º de Maio no ataque a procurar o golo da vitória, mas a bola teimou em não entrar.