Análise Portugal 2-2 México

19-06-2017 07:35

O regresso ao filme dos empates

Portugal empatou a duas bolas com o México na estreia da equipa das quinas na Taça das Confederações. A equipa nacional viu-se duas vezes em vantagem, mas em ambas as ocasiões permitiu o empate.
Portugal-México
Foto: © 2017 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.

Ricardo Quaresma abriu o marcador para Portugal

Por André Delgado sapodesporto@sapo.pt

Tal como tinha acontecido na fase de grupos do Euro 2016 em que somou por empates os três primeiros jogos, a equipa de Fernando Santos voltou a cozinhar mais um nulo, desta feita na estreia na Taça das Confederações, numa espécie de sequela do início da competição em França em que Portugal viria a conhecer a glória.

O resultado não foi escandalosamente negativo, mas há ilações a tirar. A equipa das quinas esteve por duas vezes em vantagem e deixou-se empatar. A fórmula foi a mesma do Europeu, com Ronaldo a ser o homem da frente. André Silva e Gelson ficaram no banco e perdeu-se a irreverência que Portugal tem demonstrado nos últimos jogos. Saltou para a titularidade Quaresma.

Num compromisso contra uma equipa de valor elevado, Portugal claudicou e não conseguiu averbar os três pontos.

Depois de se ver na frente - Golo de Quaresma fabricado por Ronaldo - ainda na primeira parte depois de um grande arranque do México, Portugal deixou-se empatar após uma falha defensiva de Raphael Guerreiro. Marcou Chicharrito num cabeceamento fulgurante.

Fernando Santos tentou mudar o figurino no segundo tempo, mas nem assim a equipa passou a render mais. Entraram Gelson, Adrien e André Silva. Muito perto do final, Cèdric recolocou Portugal em vantagem. Quando se pensava que a vitória era um garantia, nova fífia defensiva deu origem ao empate do México. Fonte não conseguiu ganhar nas alturas e Moreno fez o golo. Nunca Portugal tinha sofrido (92) um tento tão tardio em fases final de Europeus, Mundiais e Confederações. Há trabalho defensivo a fazer na equipa de Fernando Santos.

Momento

Minuto 41: Depois da vantagem, Portugal podia-se ter colocado a vencer por 2-0. Quaresma teve tudo para colocar a bola em Raphael Guerreiro, que se encontrava em excelente posição, mas acabou por optar por uma jogada individual e atirar ao lado. Um minuto volvido e Portugal sofreu o golo do empate.

Os melhores

Quaresma

Visto como arma secreta a sair do banco, o extremo mostrou que também é uma óptima aposta a titular. Marcou o primeiro golo de Portugal com um gesto de muita classe.

Ronaldo

O capitão mostrou que não se deixou afetar com as notícias que vêm de Espanha sobre uma alegada fraude fiscal. Fabricou o golo de Quaresma e teve excelentes pormenores ao longo do encontro.

O pior

Defesa de Portugal

Portugal acabou por sofrer dois golos de forma quase infantil. Primeiro depois de uma perda de bola de Raphel Guerreiro. No segundo golo, José Fonte também não ficou bem na fotografia.

Reações:

Cristiano Ronaldo: "Não há que soltar os alarmes"

Fernando Santos: "Tivemos sempre muita dificuldade"

Nani: "Tínhamos o jogo na mão"

Curiosidades

- Cédric não marcava qualquer golo desde setembro 2013. Marcou na altura pelo Sporting ao SC Braga.

- Foi a 5ª vez que Portugal empatou na estreia numa grande competição (1984, 1996, 2010, 2016 e 2017). Em todos os casos qualificou-se sempre.

- André Silva e Gelson Martins estrearam-se em fases finais de seleções A.

Conteúdo publicado por Sportinforma