O ministro do Desporto de Cabo Verde admitiu, no Mindelo, a possibilidade da “retoma paulatina” das actividades desportivas no País, com excepcção de Santiago, uma vez que a ilha do Sal está numa situação “quase estacionária” em relação à covid-19.

Fernando Elísio Freire, em declarações à imprense, em São Vicente, momentos após visitar as obras de reabilitação do Estádio Adérito Sena, advertiu, no entanto, que tudo será feito com base num protocolo sanitário, neste momento em elaboração conjunta pelo Instituto do Desporto e da Juventude e a Direcção Nacional da Saúde.

“Como sabem, a maioria dos desportos exige contacto, e acreditamos que brevemente o Instituto do Desporto e da Juventude e a Direcção Nacional da Saúde comunicarão ao País um novo prazo para a retoma das actividades desportivas”, concretizou o ministro, para quem, no entanto, “o mais importante” neste momento é combater a pandemia.

Sobre a visita às obras de reabilitação do Estádio Adérito Sena, Fernando Elísio Freire disse que está garantida a introdução de uma pista de tartã, orçada em 35 mil contos, e com “todas as exigências internacionais”.

“A empresa está a trabalhar na parte técnica e assim que estiver tudo montado o Governo, em articulação com a câmara, vai avançar para a fase de colocação da pista”, admitiu, lembrando, no entanto, que o compromisso é que as competições internacionais venham para São Vicente, a nível do futebol.

Sobre o atletismo, concretizou, será feita concomitantemente mas disse acreditar que em Novembro poderão estar as duas obras prontas, estádio remodelado e pista de tartan para o atletismo.

“A introdução de uma pista de tartan dará ao estádio uma outra qualidade e permitirá a São Vicente ter as condições não só para a prática do futebol a alto nível, como também para o desenvolvimento do atletismo e receber provas nacionais e internacionais”, sintetizou o ministro do Desporto. “Esse é o objectivo”, finalizou.

A empreitada de requalificação do Estádio Adérito Sena é uma obra que resulta de uma parceria Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF)/FIFA/Governo de Cabo Verde/Câmara Municipal de São Vicente e deverá ficar concluída em Novembro do corrente ano.

O montante da obra, que vai dotar o estádio para uma capacidade de oito mil lugares, quatro balneários, iluminação e um conjunto de melhoramentos na estrutura interna, ascende aos 94 milhões de escudos, financiados pela FCF/FIFA em 60 por cento (%), Governo (25%) e Câmara Municipal de São Vicente (15%).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.