A UEFA referiu hoje que a queda do paramotor no relvado antes do início da partida entra a França e a Alemanha, do grupo F do Euro2020, causou “vários feridos” e que poderia ter tido consequências “muito graves”.

“Tratou-se de um ato imprudente que poderia ter tido consequências muito graves para um grande número de pessoas e que causou ferimentos em várias pessoas que assistiam à partida e que estão no hospital”, referiu a UEFA em comunicado, não especificando o número de feridos ou a sua gravidade.

Um ativista da associação não-governamental Greenpeace sobrevoou o estádio de Munique e caiu no relvado pouco antes do início da partida, já com as equipas em campo.

Com uma mensagem contra a utilização de petróleo visível no paraquedas, acabou por perder o controlo depois de chocar com um cabo e caiu no relvado do ‘Allianz Arena’.

O organismo que tutela o futebol europeu frisou que as autoridades vão tomar as “medidas necessárias”, com o ativista a ser detido.

“A UEFA e os seus parceiros estão plenamente comprometidos com um torneio sustentável no Euro2020 e colocaram em marcha várias iniciativas para compensar as emissões de carbono”, acrescentou.

A UEFA explica que o jogo entre a França e a Alemanha não foi afetado pelo ato “imprudente e perigoso”, mas que várias pessoas “acabaram por sofrer ferimentos”.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.