A Espanha confirmou hoje o seu favoritismo à conquista do Euro2017 de sub-21 de futebol, ao vencer a Itália nas meias-finais por 3-1, com um ‘hat-trick’ de Saúl Niguez, apurando-se para a final, na qual defrontará a Alemanha.

A seleção italiana, com o seu tradicional rigor tático e jogando com um bloco mais baixo, ainda travou a ‘máquina’ espanhola durante a primeira parte, que terminou com um nulo, não obstante a supremacia espanhola em termos de posse de bola, 60 por cento contra 40 dos transalpinos.

No entanto, na segunda parte, a Espanha arrancou para um triunfo indiscutível, liderada por um duo que já faz parte das opções de Julen Lopetegui para a seleção principal, o médio ofensivo do Atlético Madrid Saúl Niguez e o extremo do Real Madrid Marco Asensio, recente campeão europeu.

A Espanha abriu o marcador, aos 53 minutos, por Níguez, assistido por Daniel Ceballos, mas a Itália ainda conseguiu ripostar com o golo do empate, aos 62, de autoria do avançado da Fiorentina, Frederico Bernardeschi, numa altura em que a Itália jogava já com menos um em campo, depois da expulsão, por duplo amarelo, de Roberto Gagliardini, aos 58.

Nem chegou a Itália a ‘saborear’ o golo do empate, visto que a Espanha, três minutos volvidos, voltou a adiantar-se no marcador pelo mesmo Saúl Níguez, desta vez assistido pelo jogador do AC Milan Gerard Deulofeu, e tomou conta do jogo, tirando partido do adiantamento dos italianos na tentativa de chegar novamente ao empate.

O mesmo Saúl Niguez fez o ‘hat-trick’ aos 74 minutos, na sequência de um ‘slalom’ e de um cruzamento de Asensio, numa altura em que a Espanha era dona e senhora do jogo, com os jogadores perigosos que tem no ataque, sobretudo com espaço nas costas da defesa italiana, como passou a acontecer.

No outro jogo das meias-finais, a Alemanha eliminou a Inglaterra na série final de penáltis, depois de um empate a dois golos no final do prolongamento e tempo regulamentar, e garantiu a vaga na final, na qual irá defrontar a Espanha, na próxima sexta-feira.

Os alemães foram os primeiros a marcar, aos 35 minutos, pelo avançado do Leipzig Davie Selke, mas a Inglaterra repôs a igualdade à beira do intervalo, aos 41, pelo dianteiro do Leicester Demarai Gray.

Na segunda parte, os ingleses deram a volta ao resultado aos 50 minutos, por Tanny Abraham, avançado do Chelsea, mas a Alemanha forçou o prolongamento ao fazer o 2-2, aos 70 minutos, por Felix Platte, que tinha sido lançado em campo sete minutos antes, a render Davie Selke, autor do primeiro golo.

O nulo verificado no prolongamento obrigou a recorrer a uma série de penáltis, na qual a Alemanha se revelou mais eficaz, ao falhar apenas um castigo máximo contra dois da Inglaterra.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.