Durante a marcação das grandes penalidades, Bruno Alves seguia decidido para a bola, porém Nani foi ter com o central e disse que quem marcava o castigo máximo era ele.

O selecionador nacional, Paulo Bento, esclareceu em conferência de imprensa toda a situação.

«Era o Ronaldo que ia bater o último penalti, sim. De resto, na situação entre Nani e Bruno Alves não houve alteração de ordem, apenas uma ligeira confusão. Mas a ordem definida foi respeitada: Moutinho, Pepe, Nani, Bruno Alves e Ronaldo. O Bruno Alves avançou e nós no banco fizemos-lhe sinal que não era ele», explicou.