A crise diplomática que isola o Qatar dos seus vizinhos do Golfo teve um “impacto mínimo” nos preparativos para o Mundial2022 de futebol, que “continuam dentro dos prazos”, apesar dos “inconvenientes” da situação, garantiu hoje o comité organizador.

Em entrevista à Al-Jazeera, o presidente do comité organizador do Mundial2022, Hassan Al-Thawadi, garantiu que o impacto do corte das relações diplomáticas da Arábia Saudita e os seus aliados, que acusam o Qatar de apoiar o terrorismo, “foi mínimo”.

“As obras dos estádios estão a decorrer normalmente e tudo continua a seguir dentro dos prazos”, assegurou Al-Thawadi.

No entanto, o responsável máximo pela organização do Mundial2022 admitiu que a crise diplomática “criou alguns inconvenientes”.

A Arábia Saudita e os seus aliados aplicaram sanções económicas ao Qatar e fecharam as fronteiras terrestres e marítimas, o que pode prejudicar o fornecimento de materiais para a construção dos estádios.

Para contornar a situação, o Qatar já estabeleceu contactos com empresas chinesas e malaias desde que a crise rebentou, em 05 de junho.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.