Gianluigi Buffon apontou o favoritismo ao Barcelona, na final da Liga dos Campeões de futebol, em Berlim, agendada para sábado às 19h45.

“É impossível que uma equipa que tem jogadores como Messi, Neymar e Luis Suárez, e até Iniesta atrás deles, não seja favorita”, explicou.

No entanto, o eterno guarda-redes da Juventus salientou que a equipa italiana não se apresentará no estádio Olímpico de Berlim como uma “vítima” pronta para o sacrifício.

“Seguramente que nenhum de nós tinha pensado chegar à final este ano, por várias razões, fundamentalmente pela mudança de treinador. Na realidade, esperávamos construir algo para estar aqui nos próximos dois ou três anos”, revelou, referindo-se à substituição de Antonio Conte por Massimiliano Allegri

Por isso, Buffon vê a final deste sábado como uma prenda, que chegou antes do previsto: “Foi algo inesperado e, como todas as surpresas inesperadas, causa-nos muita emoção e alegria”, assumiu o guarda-redes italiano, que, aos 37 anos, estará pela segunda vez na final da ‘Champions’, depois da que perdeu nos penáltis, contra o AC Milan, em Manchester, em 2003.

O seu companheiro na defesa Leonardo Bonucci admitiu que a sua equipa está “um degrau abaixo” do conjunto catalão, mas demonstrou que a Juventus tem a lição bem estudada, apontando a anulação do trabalho criativo do meio campo do FC Barcelona como a chave para a vitória.

“Não será só a linha de ataque do FC Barcelona contra a linha defensiva da ‘Juve’, mas sim um jogo entre duas grandes equipas”, disse, destacando que os catalães são tão fortes no ataque como na defesa.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.