Mesmo a vencer, a equipa que esta terça-feira se estreia na edição de 2010/11 da Liga dos Campeões está longe do Benfica da época passada. Tem faltado velocidade à formação lisboeta, sentindo-se a falta clara de Di Maria e Ramires, e na defesa também não tem sido intransponível. Vale Carlos Martins, e a espaços Coentrão, para dar alguma alma ao ataque.

A equipa israelita, sem um jogo sensacional, traz uma defesa coesa e tem em Vermouth o seu motor no ataque, que o diga Fábio Coentrão com algumas situações em que não conseguiu parar o jogador israelita. No entanto, a par de uma oportunidade, pouco tem importunado Roberto, o escolhido de Jorge Jesus para ocupar a baliza encarnada e que têm tido uma grande noite até ao momento.
Aos 21 minutos, a Luz pôde gritar golo. Canto de Aimar batido na esquerda, para longe, Carlos Martins recupera e num cruzamento milimétrico coloca a bola na grande área para o remate de primeira de Luisão.

No entanto, pertencia ao Hapoel a maior posse de bola e Vermouth provocou alguns calafrios, mas fez Roberto brilhar. O extremo conseguiu romper e rematou para uma primeira defesa à queima-roupa do espanhol e na recarga, Roberto conseguiu sacudir o perigo.

Carlos Martins voltou a estar em destaque aos 27’ com um passe rasgado para Aimar, que, na cara de Enyeama, ainda conseguiu tocar na bola, com o remate a sair ao lado.

Aos 36’, Roberto voltou a brilhar, desta vez foi Bondarv que rematou. O lateral direito rematou em trivela à entrada da área para um voo do espanhol. Pouco depois, na outra área, Carlos Martins, depois de um passe em esforço do camisola 10, a rematar ligeiramente ao lado, na melhor oportunidade do 2-0.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.