"É um dia que esperava há muito. Depois de tantos anos sou italiano e estou muito orgulhoso", disse o jogador depois de ter feito o juramento de fidelidade à República de Itália.

Depois deste passo, Amauri admitiu que seria "o homem mais feliz do Mundo" se tivesse oportunidade de ser convocado para a selecção italiana.

O jogador já tinha dito no último ano que se tivesse que escolher uma selecção para representar no Mundial da África do Sul seria a italiana.

Inicialmente estava previsto que Amauri tivesse o passaporte em Setembro de 2009, mas com a entrada em vigor da nova lei de emigração o processo foi adiado.

Entretanto, em entrevista ao jornal La Repubblica, o jogador também pediu que outros futebolistas e adeptos para que respeitem o seu desejo de vestir a camisola italiana, sobretudo face à oposição que outros têm mostrado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.