A polícia de Hong Kong desmantelou uma nova rede de apostas ilegais, a segunda mais importante da cidade, ambas direccionadas para o campeonato mundial de futebol, anunciaram as autoridades.

A operação policial foi levada a cabo num hotel e num apartamento, situados em dois distritos daquela cidade e que eram os locais onde eram feitas as apostas ilegais sobre jogos do Mundial da África do Sul e sobre corridas de cavalos.

A operação saldou-se por quatro detenções, segundo um comunicado da polícia.

O Departamento do crime organizado e tríades adiantou que foram apreendidos sete computadores de secretária e 10 portáteis, assim como apostas e boletins valorizados em 150 milhões de dólares de Hong Kong (15,6 milhões de euros) e de documentos de apostas no valor de 20 milhões de dólares de Hong Kong (2,1 milhões de euros).

O departamento policial sublinha que continuará “a combater as actividades de apostas ilegais” no decurso do Campeonato do Mundo de futebol, mas não quis discriminar qual a quantia das apostas que o Mundial da África do Sul atraiu.

No primeiro fim-de-semana do Mundial, as autoridades de Hong Kong e Shenzhen (sul da China) prenderam sete dezenas de pessoas implicadas numa rede de apostas ilegais de futebol por Internet, alguns dos quais pertencentes a máfias do crime.

Na operação, com o nome de código “Zonebuilder”, as autoridades apreenderam 68 computadores e boletins de apostas avaliados em 113 milhões de dólares Hong Kong (11,8 milhões de euros) e identificaram 13 páginas Internet para apostas ilegais de futebol.

O Clube de Jockey de Hong Kong é a única entidade legalmente autorizada a aceitar apostas sobre jogos de futebol.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.