Gilberto Madaíl recusou esta tarde comentar o valor do prémio atribuído a Carlos Queiroz afirmando que esse “é um assunto interno da Federação Portuguesa de Futebol, a Federação faz a sua gestão internamente de acordo com aquilo que são as suas previsões e os seus orçamentos”.

O presidente da FPF foi parco nas palavras que proferiu no final da reunião que serviu para analisar a prestação da selecção no Mundial 2010 remetendo mais pormenores para um comunicado a divulgar mais logo.

Esta foi a primeira reunião da direcção da FPF, depois do campeonato do mundo, e, ao longo das quatro horas de duração, terão sido abordados temas como o desempenho da selecção e atitudes de Cristiano Ronaldo.

Fernando Gomes, presidente da liga de clubes, também saiu em silêncio deste encontro.

Apesar de não estar prevista nenhuma declaração, as dezenas de jornalistas que estiveram toda a tarde á porta da sede da FPF ainda foram convidados a desmobilizar, Madaíl acabou por falar.

"Analizámos a nossa participação no Mundial 2010 e a nossa fase de qualificação, e os senhores irão ter uma informação disponibilizada no site com toda a informação". 

As pessoas que passavam à porta da FPF durante a tarde, proferiram vários insultos ao organismo, mostrando o seu desagrado pela forma como a selecção esteve foi gerida durante o mundial da África do Sul.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.