Nani garantiu à chegada a Portugal, este domingo, estar apto a jogar, mas sobre isso Queiroz recusou-se a comentar.

“Para mim e para todos - com todo o respeito pelo Nani e toda a gente - só conta o jogo de amanhã [terça feira]. Depois, teremos tempo para falar disso”, esquivou-se o seleccionador, a um dia da estreia, frente à Costa do Marfim.

O avançado, que sofreu uma lesão na clavícula esquerda, sendo substituído por Ruben Amorim, garantiu que a recuperação seria feita em dez dias, o que o faria perder apenas o jogo de estreia.

“Se Nani está bom em 10 dias é fantástico. Mais importante é toda a equipa estar concentrada em golos, passes e espectáculo, pois é isso que nós, que estamos aqui com todo o mérito, temos de criar, com toda a atenção e empenhamento”, reforçou o técnico.

Focado no Mundial, Queiroz sabe que esta é uma prova onde não há “segundas oportunidades”

“O campeonato do Mundo é uma prova em que não há espaço para errar. Nesta competição (fase de grupos) há nove pontos em disputa. Tanto valem os primeiros como os últimos, mas queremos ganhar os três pontos desde o princípio”, sublinhou.

Sendo “importante ganhar todas as partidas, a primeira, a segunda ou a última”, o seleccionador nacional reforçou que “os primeiros pontos dão estímulo, incentivo e confiança”, sendo primordial “ganhar esses pontos logo no início”.

Dos oito grupos em prova, o de Portugal é visto como o mais difícil, portanto todos os pontos são essenciais.

“É um grupo difícil. Por isso, a imprensa nacional e internacional o classificou como ‘grupo da morte’. Significa que há três favoritos – como todo o respeito pela Coreia do Norte –, três equipas para dois lugares. Não interessa se jogam o melhor futebol do mundo. Até podem ser as três melhores do mundial, mas os regulamentos só permitem que passem duas”, lembrou.

Tenho a certeza que o Cristiano Ronaldo e todos os jogadores vão ser motivo de orgulho para todos os adeptos da equipa nacional”, vincou o técnico, na antevisão da estreia no Grupo G.

A um dia da grande estreia, Carlos Queiroz diz que “a selecção vai orgulhar os portugueses”.

“Tenho a certeza que o Cristiano Ronaldo e todos os jogadores vão ser motivo de orgulho para todos os adeptos da equipa nacional. É tempo de jogar, acabou o tempo de preparação. Nunca mais vem a hora do jogo. Há grande vontade de ir para dentro do campo, libertarem-se, correr. Temos um espírito fantástico, qualidade, passe, drible, um contra um, uma equipa organizada e sobretudo 23 jogadores com muita vontade de fazer o melhor por Portugal”, frisou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.