“O importante era ganhar este jogo e fizemo-lo. Criámos numerosas ocasiões (de golo) que não concretizamos. Agora, a prioridade é preparar o jogo de grande pressão contra o Chile, mas os jogadores estão habituados a viver com essa pressão. Será mais um encontro, numa temporada muito carregada”, afirmou o técnico Vicente del Bosque.

David Villa marcou aos 17 e 51 minutos da partida da segunda ronda do Grupo H, colocando a Espanha com os mesmo três pontos que a Suíça, batida hoje pelo líder, Chile, com seis pontos. Na derradeira ronda, na sexta feira, a Espanha bate-se com os chilenos, enquanto os helvéticos defrontam as Honduras.

“Criamos muitas oportunidades (de golo). Foi bom, mas é certo que nos faltou algum realismo. Agora, se batermos o Chile, seremos primeiros do grupo. Também já tínhamos jogado bem contra a Suíça, mas não marcámos. É o futebol”, afirmou Villa, referindo-se à derrota da estreia, por 1-0.

Apesar de ter falhado uma grande penalidade, aos 62 minutos, Villa desvalorizou o sucedido: "Falhei porque foi ao lado. Marquei penáltis toda a minha vida e, com 2-0, não havia muita pressão".

O seleccionador das Honduras, Reinaldo Rueda, lamentou o demasiado “respeito” que os seus jogadores exibiram diante da campeã europeia.

“Respeitámos demasiado a Espanha e isso viu-se, nomeadamente no início da partida. Respeitámo-los em excesso e sofremos o primeiro golo muito rapidamente. Depois, tentámos reagir, mas quando atacámos sofremos o segundo tento. A Espanha, com a perfeição dos seus passes, ultrapassa quatro ou cinco jogadores com uma só troca de bola”, elogiou Rueda.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.