Angêlo Brou foi o rosto português no balanço da visita dos inspectores da FIFA a Portugal, no âmbito da avaliação da candidatura ibérica ao Mundial 2018/2022.

Para o membro do Conselho de Administração da Fundação da candidatura ibérica, o balanço não podia ser mais positivo, depois dos elogios deixados por Harold Mayne-Nichols. “Não diria que é uma visão optimista. Harold Mayne-Nichols tem muita experiência e é uma afirmação do que é possível ver em Portugal e Espanha”, afirmou esta tarde, numa conferência de imprensa realizada em Lisboa.

Ângelo Brou acumula o posto na Fundação da candidatura ibérica com o cargo de secretário-geral da FPF e esvaziou a polémica em torno de Carlos Queiroz e da selecção nacional em plena visita dos inspectores da FIFA. “Nunca foi feita qualquer menção sobre esse assunto”, rematou o dirigente da FPF.

Questionado sobre o facto do estádio José Alvalade ter ficado fora do roteiro da inspecção da FIFA, Brou argumentou com o pouco tempo disponível para mais visitas. No entanto, assegurou que o recinto do Sporting continua dentro do projecto ibérico para 2018/2022.

“As visitas que a FIFA fez foram estabelecidas pela candidatura ibérica. Tínhamos um calendário apertado, mas posso confirmar que Alvalade faz parte dos estádios que estão propostos para a candidatura”, frisou.

Sublinhando que “todas as garantias foram entregues em Maio”, Ângelo Brou confessou ainda a sua esperança e confiança de que Portugal e Espanha sejam unidos pelo TGV, num momento em que essa obra é contestada em alguns sectores da sociedade portuguesa. “Do lado espanhol já se iniciaram as obras e do lado português disseram-nos que as obras eram também para avançar”, disse o membro da candidatura ibérica ao Mundial.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.