O presidente da FIFA reconheceu que a preparação do Mundial de futebol de 2014 está mais atrasada do que a do campeonato organizado na África do Sul, em 2010, mas acredita que a competição será um sucesso.



“O Brasil está mais atrasado na preparação do que a África do Sul, no mesmo período. Mas não duvido de que um grande país, com 200 milhões de habitantes, organizará um grande Mundial de futebol”, observou o suíço Joseph Blatter, em entrevista publicada esta terça-feira na revista francesa France Football.



Blatter recebeu da presidente do Brasil a garantia de que a competição decorrerá com normalidade, durante a visita realizada na semana passada por Dilma Rousseff a Zurique, onde está localizada a sede do organismo que rege o futebol mundial.



“Esta é a primeira vez que um país dispõe de sete anos para organizar o Mundial e a preparação está atrasada”, lamentou o presidente da FIFA, que qualificou os recentes protestos realizados no Brasil contra a organização do Mundial de “um movimento espontâneo, sem objetivo, nem liderança”.



Blatter assinalou que na Europa “existem menos problemas” daquele género, porque “o poder central é mais forte”, dando como exemplo a Rússia, que organizará o Campeonato do Mundo de 2018, e que o suíço considerou estar em fase de preparação “muito avançada”.