“As assembleias-gerais são feitas para isso. São, sem qualquer dúvida, o local próprio para se criticar e elogiar. É aí que as pessoas expõem as suas opiniões e votam de acordo com a sua consciência. Por isso espero que decorra de forma normal com sempre aconteceu”, disse o presidente da mesa da assembleia-geral do Sporting.

Para Dias Ferreira “é natural que durante a reunião surjam outras opiniões e posições” sobre as contas e o momento do clube, uma vez que as pessoas “não têm de estar todas de acordo”, embora espere que "o documento seja votado favoravelmente”.

“Normalmente os documentos são votados favoravelmente. E é isso que se espera [quarta-feira], tendo em atenção o sentir mais geral dos sócios”, concluiu.
O documento, que já recebeu o voto favorável do Conselho Leonino (38 a favor e três contra), reporta às contas do clube no exercício que terminou a 30 de Junho de 2010.

O momento da equipa de futebol – 10.º lugar na liga ao fim de sete jornadas, com 9 pontos (duas vitórias, três empates e duas derrotas) – tem merecido críticas de adeptos e associados, situação relativizada pelo presidente do clube, José Eduardo Bettencourt, em entrevista à RTP (07 de Outubro), quando reiterou que o objectivo do Sporting “é sempre ganhar”, dizendo que acredita “sempre no título”.

“Tem havido alguns momentos em que os resultados ficaram aquém da qualidade da equipa. Acredito sempre no título e estamos à distância de um clique. O objectivo realista é ultrapassar o segundo classificado”, disse na ocasião.

O líder sportinguista sublinhou ainda não estar “agarrado ao lugar” e descartou um cenário de eleições antecipadas, mas admitiu que se o presidente da assembleia-geral e os órgãos sociais entenderem avançar para essa solução que a aceita “no mesmo minuto”.

Dois ex-candidatos à presidência do clube – os associados Sérgio Abrantes Mendes e Paulo Cristóvão – apareceram no final de Setembro a criticar a liderança e o momento do clube dirigido por Bettencourt.

Para Cristóvão, derrotado nas eleições de Junho de 2009, os actuais responsáveis deviam "em consciência, assumir que não têm capacidade de mobilização que se impõe a uma direcção"

"Esse seria o maior ato de amor ao clube - demitirem-se e convocar eleições antecipadas”, disse, acrescentando: “São os sócios que suportam o clube. Há mais de uma década que essa dita riqueza ficou para trás. Nunca estiveram tão desmobilizados e afastados”.

Já Abrantes Mendes – derrotado por Filipe Soares Franco (antecessor de Bettencourt) em Abril de 2006 – considerou que, no cenário actual, “o resultado do Sporting é a ‘belenização’. Sem desprimor para os belenenses, é tornar-se igual ao Belenenses, ou seja um clube que vive do passado que nunca teve arte e engenho para se projectar no futuro”.

“Só vejo uma solução: é aparecer um magnata, porque o Sporting com um passivo que ronda os 400 milhões de euros, e não tendo activos, o Sporting hoje não tem nada”, concluiu.

A reunião de quarta-feira é aberta a todos os associados no gozo dos seus direitos (quota de Setembro de 2010 paga), podendo participar nos debates e votar todos os sócios efectivos admitidos há pelo menos 12 meses.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.