As propostas de aquisição do direito de superfície dos terrenos do Estádio do Bonfim poderão se entregues até 15 de Dezembro, às 16:00, estando a abertura das mesmas prevista para as 10.00 do dia seguinte (16 de Dezembro de 2009).

De acordo com a informação publicitada pela Direcção-Geral dos Impostos, a venda do direito de superfície do Estádio do Bonfim resulta da execução de uma penhora sobre a empresa Ventos de Negócio Empreendimentos e Investimentos Imobiliários Lda., do grupo Pluripar.

A holding Pluripar, na qual a Sociedade Lusa de Negócios (SLN) tem uma participação de 50 por cento, é a promotora do empreendimento urbanístico do Vale da Rosa, para onde está prevista a construção de cerca de 7.000 fogos, zonas comerciais e um estádio municipal - que a autarquia, entretanto, se comprometeu a ceder ao Vitória de Setúbal.

A Pluripar, através da empresa Ventos de Negócio Empreendimentos e Investimentos Imobiliários Lda., que detém a 100 por cento, adquiriu também os direitos sobre os terrenos do actual Estádio do Bonfim mediante o compromisso de pagamento de um renda anual de cerca de 750.000 euros ao clube sadino durante um período de 90 anos.

O acordo celebrado entre a Pluripar e o Vitória de Setúbal estabelece que o clube só terá de deixar o actual Estádio do Bonfim quando lhe for entregue o futuro recinto municipal.

Contactados pela Agência Lusa, o director das Finanças de Setúbal, José do Carmo Raposo, o presidente do Vitória de Setúbal, Fernando Oliveira, e o director -geral da Pluripar, Joaquim Peralta, não quiseram fazer qualquer comentário sobre a venda do direito de superfície dos terrenos do Bonfim.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.