A decisão do Governo em aumentar o IVA dos bilhetes para os jogos e espetáculos deverá afetar os clubes de futebol, embora essa medida possa não ser visível aos adeptos na altura da aquisição dos ingressos.

«Esta medida mexe com a economia dos clubes, porque estamos a perder espetadores devido à conjuntura económica e social.

Os preços dos bilhetes vão ter de subir e isso afeta a débil situação dos clubes, que ficam penalizados. Vamos ponderar e analisar esta situação. Temos de acatar com serenidade internamente e ver o que podemos fazer através da Liga», disse Manuel Arnaut, vice-presidente da Académica para a área financeira.

Também Carlos Barbosa, presidente do Paços de Ferreira, outra equipa da Liga de futebol, manifestou-se preocupado, embora sem estar completamente informado sobre a situação.

«Ainda não estou inteirado da situação, mas claro que é preocupante, como é preocupante para o país inteiro. Já temos pouco público e aumentar os bilhetes só vai fazer com que haja ainda menos. Aumentar os bilhetes dá receitas acrescidas ao Estado, mas leva menos gente ao estádio», afirmou o dirigente, acrescentando desconhecer “até que ponto o clube terá de pagar IVA sobre os convites que distribui para levar mais gente ao estádio».

Igual preocupação manifestou António Silveira, presidente adjunto do Portimonense, equipa que desceu à Liga de Honra, referindo que o aumento «irá traduzir-se numa redução de receitas, numa altura em que cada vez mais os clubes precisam de dinheiro».

«É sempre prejudicial tudo o que seja para aumentar o custo final que o consumidor pagará. Apesar de nos encontrarmos num período de grande contenção, as pessoas naturalmente deixarão de fora tudo o que não sejam as suas necessidades primárias», disse António Silveira.

Menos pessimista está Amadeu Poço, presidente da Associação de Futebol da Guarda.

«Não acredito que o preço dos bilhetes vá subir com o aumento do IVA para 23 por cento e creio que esse encargo será suportado pelos organizadores. Com as pessoas a ficarem sem o subsídio de férias e de Natal, se os bilhetes aumentassem, então é que não iriam mesmo ao futebol. Não acredito que o preço dos bilhetes vá subir e, se calhar, o que vai acontecer é que vá baixar, pelo menos é isso que vamos recomendar», sublinhou.

Apesar desta decisão do Governo, a medida muito provavelmente não será visível para o consumidor final, pelo menos nas três competições organizadas pela Liga, cujo regulamento prevê um teto mínimo e um teto máximo no valor dos ingressos.

De acordo com o artigo 84.º do Regulamento de Competições, os preços mínimos estão fixados nos cinco euros para a Liga principal e nos dois euros para a Liga de Honra, enquanto os máximos foram divididos em três níveis, consoante a classificação do estádio, mas esta medida só entrará em vigor na próxima temporada.

Deste modo, o preço máximo que um clube pode praticar na Liga principal é de 65 euros, um valor que cai para os 20 euros na Liga de Honra.

Os «espetáculos, provas e manifestações desportivas e outros divertimentos públicos», onde se incluem os bilhetes de futebol e outros desportos, deverão sofrer um agravamento de preço em 2012, com o IVA a passar de seis para 23 por cento, segundo a proposta preliminar do Orçamento do Estado para 2012 (OE2012).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.