Esta quinta-feira, Varandas Fernandes deu uma conferência de imprensa no Estádio da Luz onde revelou que quer que a Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Liga Portugal e Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) revelem as preferências clubísticas dos seus elementos, bem como o trajeto profissional dos seus quadros.

"Nos últimos anos, como manobra de diversão para disfarçar erros, foram alguns tecendo o mito de que o Benfica dominaria as principais estruturas do futebol português", começou por dizer Varandas Fernandes, para de seguida fazer o apelo: "convidamos a Liga e a FPF, assim como o TAD, a publicar nas suas páginas todo o percurso profissional dos seus quadros e dirigentes, identificando os clubes onde trabalharam e exerceram funções e assumindo a sua preferência clubística, caso ela exista".

O objetivo deste pedido é alcançar "a transparência total para escrutínio total. Será um contributo decisivo para acabar com a falsa propaganda de que o Benfica controla as principais instâncias do futebol nacional", disse o vice-presidente das 'águias', lançando ainda farpas ao dizer que "quem não deve, não teme".

"Não é por serem órgãos que superintendem o futebol nacional que estarão a cima de qualquer suspeita, bem pelo contrário. Devem ser os primeiros a dar o exemplo", afirmou Varandas Fernandes.

O vice-presidente do Benfica lançou ainda algumas perguntas à Liga e à FPF. "Ao longo da época passada, viveu-se em Portugal um ambiente asfixiante. Assistimos a uma guerrilha permanente. Esse estado de coisas tem de acabar. Para que as coisas mudem, algumas questões devem ser esclarecidas antes do campeonato ter início. Em defesa da transparência, levantamos seis questões e lançamos um desafio junto das instâncias responsáveis no desporto. Dirigimo-nos, sobretudo, à Liga Portugal e à Federação Portuguesa de Futebol", disse Varandas Fernandes.

"Primeira questão: Qual o ponto de situação das investigações ao centro de treinos dos árbitros na Maia? Já passou tempo demais sem os necessários esclarecimentos. Permanecem as dúvidas; Segunda questão: Qual o ponto de situação das queixas apresentadas por vários árbitros sobre as queixas que sofreram? Aqui também um manto de silêncio completo; Terceira questão: Qual a explicação da Liga para que na última época não se tenham cumprido os regulamentos da segunda parte do encontro entre Estoril e FC Porto. O jogo foi retomado 37 dias depois, nunca se percebeu esta decisão; Quarta questão: Como se explica que o relatório de perícia feito pela FPF sobre a recente divulgação pública de contratos de jogadores do Benfica tenha sido publicado num blog? O documento nunca foi recebido aqui no clube; Quinta questão: Como será que só há fugas de contratos do Benfica e, sempre, em blogs associados a outros clubes? No mínimo, é coincidência a mais; Sexta questão: Como se justificam o silêncio da Liga e da FPF diante do crime de violência de correspondência privada de um clube em relação ao outro", concluíu Varandas Fernandes.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.