O Sporting está unido e o cenário de eleições presidenciais não se coloca, garantiu esta sexta-feira Bruno Mascarenhas, vogal da direção do clube leonino e responsável pelo pelouro da expansão e núcleos, em declarações ao jornal Record.

"O clube está unido, está coeso, tem uma grande equipa de futebol, grandes equipas nas modalidades e é nisso que nos devemos focar. Estamos todos satisfeitos e, naturalmente, a Direção funciona como um todo e naturalmente, sempre, ao lado do presidente", afirmou Bruno Mascarenhas à margem da celebração dos 25 anos do Núcleo Sportinguista de Ourém.

Questionado sobre o cenário de eleições antecipadas, o dirigente leonino fez questão de frisar que: "isso não é um tema... Temos um mandato de quatro anos, o clube está a trabalhar, todas as áreas estão a trabalhar. Portanto, eleições é um cenário que nem se coloca, porque está tudo a funcionar".

Em relação às recentes declarações de Jaime Marta Soares,Mascarenhas desvalorizou as palavras do presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting sobre a falta de condições de Bruno de Carvalho em terminar o seu mandato.

"Isso é um tema que só assiste ao presidente Jaime Marta Soares. Estou convencido que, como em tudo na vida – e o futebol é um desporto de paixões – todos nós, em determinado momento, podemos dizer certas coisas, o que não quer dizer que as sintamos sempre… Estou convencido que Marta Soares está ao nosso lado neste momento para levarmos o Sporting a bom porto", disse Bruno Mascarenhas.

Ao contrário do que disse Bruno de Carvalho nas redes sociais sobre a solicitação de marcação de uma assembleia extraordinária, Bruno Mascarenhas frisou que tal não irá acontecer.

"Não o vamos fazer. Queremos paz, queremos trabalhar. É isso que os sócios querem! Ele [Bruno de Carvalho] também merece ter o seu tempo em família. Tem-se dedicado ao clube 24 sobre 24 horas. Se estará no Restelo? Não sei. Só o presidente sabe da sua agenda", acrescentou Bruno Mascarenhas.

Já em relação às recentes demissões no Conselho Leonino, Bruno Mascarenhas frisou desconhecer a demissão de José Maria Ricciardi.

"O primeiro nome que referiu não tenho conhecimento [Ricciardi]. Hoje houve realmente... Quando nós vemos que a equipa teve um rendimento excecional que foi pena não marcarmos um segundo golo para irmos a prolongamento e continuarmos num dos objetivos que tínhamos esta época", começou por dizer Bruno Mascarenhas sobre o assunto.

"Ainda sentimos que há algumas pessoas que querem trazer nuvens para uma situação que neste momento está clara. Não é nada disso que se pretende: o clube está unido, está coeso e esses focos da oposição querem lançar poeira. Portanto, como sabem, o Conselho Leonino tem o seu fim e não tem importância nenhuma a saída dessas pessoas", sentenciou Bruno Mascarenhas.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.