Na antevisão do jogo com o Gil Vicente, Bruno Lage abordou uma questão que provocou polémica na ‘ressaca' da derrota com o FC Porto: a ausência de estágio antes do ‘clássico' com o emblema portista. Na ótica do treinador do Benfica, a prática é uma forma de o clube se aproximar do que diz serem os métodos de "outros grandes clubes" da Europa.

"Falou-se muito dessa situação como causa de uma derrota. Mas ao cancelar esses estágios nos jogos em casa, o que fizemos foi aproximar ao que se faz noutras equipas europeias. Não temos de imitar ninguém, mas temos de procurar o conforto dos nossos jogadores. Imaginem esta semana: jogamos sábado, quarta e sábado. Com viagens, cada um dos jogadores passa duas ou três noites em casa. E entendemos que o repouso e a recuperação em casa é melhor. Tirar os jogadores de casa seria mais fácil para nós e para eles, mas preferimos que em véspera de jogo, uma vez que moram todos aqui perto, eles se mantenham no conforto do lar", começou por explicar, antes de explicar que há situações em que tal não é possível.

"As exceções são os dias seguintes ao regresso das seleções. Trabalhamos de manhã com os jogadores para estarmos mais tempo com eles e trabalharmos algumas coisas, porque temos menos tempo com eles para preparar os jogos nessas semanas", finalizou.

O técnico do Benfica explicou que "em casa [os jogadores] descansam melhor" mas que nem por isso deixam de ser controlados em parâmetros como o sono.

"Todos usam a pulseira para controlo do sono e damos a possibilidade de cada um dormir em casa, com a família, nos seus colchões. E no outro dia, a concentração é feita de manhã, para o pequeno-almoço, para se jogar ao final da tarde", argumentou.

Bruno Lage aproveitou para lembrar muitas histórias contadas por jogadores mais velhos sobre estágios, onde nem sempre é possível controlar todos.

"Todos nós já ouvimos histórias de estágios. Dependendo do treinador, aqui isso não acontece, há jogadores que até podem beber um copo de vinho nos estágios. E os mais velhos, que bebem vinho, puxam o mais novo e dizem 'ele bebe também'. Depois no final, pedem um cafezinho, mas a piscar o olho e o que vem não é café. E nesse caso, estamos em estágio e o jogador já tem dois copos de vinho e um whisky no bucho", disse, entre sorrisos, o treinador do Benfica.

O Benfica, segundo classificado, com nove pontos, recebe no sábado, às 19:00, o Gil Vicente, décimo, com cinco, no Estádio da Luz, em jogo da quinta jornada da I Liga de futebol.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.