Luís Gonçalves estará a ser investigado por corrupção ativa. O diretor geral do FC Porto estará a ser investigado pelo Ministério Público, que até já pediu documentos à Federação Portuguesa de Futebol.

Segundo avança o jornal Correio da Manhã, o Ministério Público terá enviado uma carta à Federação Portuguesa de Futebol, solicitando mais elementos sobre Luís Gonçalves, elementos esses "considerados imprescindíveis".

Os documentos pedidos estarão relacionados com a partida entre o SC Braga e o FC Porto, da época passada, disputada a 15 de abril. A publicação avança que os documentos pedidos terão a ver com a nomeação dos árbitros dessa jornada, o relatório do árbitro Hugo Miguel e o mapa de castigos dessa jornada.

Recorde-se que o diretor geral do FC Porto foi suspeno pelo Conselho de Disciplina da FPF por 30 dias, com base no relatório do árbitro Hugo Miguel. O dirigente foi expulso após o fim do jogo, por ter ameaçado o quarto árbitro, Tiago Antunes.

"Nós saníamos o que vinhas tu para aqui fazer, nós vamos conversar mais tarde,, a tua carreira vai ser curta", terá dito Luís Gonçalves.

No final da época, Tiago Antunes acabou mesmo por ser despromovido de categoria, o que levou o Ministério Público a abrir uma investigação ao caso. Agora, a carta enviada a FPF pede as classificações dos árbitros na época passada e as notas obtidas por Tiago Antunes em cada um dos jogos em que participou na época passada.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.