Bruma podia ter feito carreira no Benfica. O atual extremo do RB Leipzig até esteve a prestar provas no clube da Luz, foi aprovado, mas acabou depois por ser dispensado. A história é contada pelo próprio, em entrevista à revista ´Sábado`.

"Não sei bem [porque não ficou no Benfica]. Lembro-me que antes do primeiro treino caí na bicicleta do filho do Catió e esfolei-me todo. Fui treinar com ligaduras nos braços e nas pernas e não parei de correr. Disseram logo para eu ficar no Seixal. Pouco depois, o Catió veio buscar-me e disse-me que íamos ao Sporting, que era melhor. Nem fomos a casa. Fui diretamente do Seixal para Alcochete com a mala no carro. O Aurélio Pereira e o Jean Paul quiserem logo que ficasse no Sporting. Só depois disso é que o Catió me disse que o Benfica me tinha dispensado. Fiquei um pouco triste porque estava a começar a gostar do Benfica. [...] Mas eu era sportinguista e percebi que há males que vêm por bem. [...] Alcochete é a minha casa e ainda hoje sofro pelo Sporting. Quero que sejam campeões", contou o internacional sub-21 português, em entrevista à 'Sábado'.

Em Portugal desde os 12 anos, depois de ter deixado a Guiné-Bissau, o agora jogador do vice-campeão alemão falou de Jesualdo Ferreira, um dos treinadores que mais o marcou. Foi o antigo técnico de Benfica, FC Porto e Sporting que lançou Bruma na equipa principal leonina. As diferenças entre o futebol da equipa principal e o da equipa B deixaram o extremo muito surpreendido.

"Começou a dizer-me que era cagão, que não sabia dominar uma bola, porque a recebia de costas e ele queria que eu rodasse logo para a frente. Na equipa B era rei, mas ali vi que o futebol não era tão fácil como pensava", contou Bruma, que falou do seu primeiro jogo de ´leão` ao peito.

"[Jesualdo] lançou-me contra o Marítimo. Estava nervoso e perdi logo a primeira bola; depois fintei um e o estádio gritou e ganhei confiança. Aos 45', substituiu-me e pensei que tinha acabado ali [...]. Na jornada seguinte entrei contra o Gil Vicente e fiz o primeiro golo. O Jesualdo foi muito importante na minha carreira", assumiu Bruma.

Na terça-feira o RB Leipzig recebe o FC Porto, em jogo da 3.ª ronda da fase de grupos da Liga dos Campeões. Um jogo que Bruma antevê equilibrado, apesar da falta de experiência de alguns jogadores dos vice-campeões alemães na prova maior da UEFA.

"A maior força do FC Porto atualmente é o treinador, que conseguiu que a equipa esteja mais junta e motivada. O Sérgio Conceição está sempre a puxar pelos jogadores. E é um grupo experiente. No Leipzig, muitos jogadores nunca tinham entrado na Champions. Mas vai ser equilibrado, como todas as partidas deste grupo", frisou, na entrevista à revista ´Sábado`.

Bruma sublinhou ainda que gosta de todos os jogadores dos ´dragões` mas há um que sobressai: "Gosto muito do Danilo. É uma máquina", atirou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.