Um dos dérbis com mais história no futebol português disputou-se esta segunda-feira, no Estádio do Bessa, com o Boavista a receber o vizinho FC Porto. A partida que encerrou a 22ª jornada da Primeira Liga acabou com um triunfo da equipa visitante, por 0-2, mas os golos só chegaram no último quarto de hora de jogo.

Ainda antes do apito inicial surgiu uma notícia inesperada: Gonçalo Paciência, o tal jovem avançado que carrega um nome cheio de peso, passava a ser opção para Julen Lopetegui, que deixou Aboubakar não só fora do onze mas também do banco de suplentes. O jovem avançado viu todo o jogo a partir do banco.

A história do primeiro tempo neste dérbi é simples de contar: o FC Porto partiu em busca do golo, como era sua obrigação, mas esse golo não chegou. Aos 14 minutos, Hernâni pediu grande penalidade mas Hugo Miguel nada assinalou. Aos 18', Jackson atirou para defesa tranquila de Mika. O mesmo Jackson tentou um pontapé de bicicleta aos 31' (falhou o alvo) e desviou para fora mesmo em cima do intervalo, após um belo passe de Quintero.

Haviam pertencido a Jackson as melhores oportunidades da primeira parte e seria precisamente o colombiano a desencravar este duelo. No entanto, seria preciso esperar até perto do final para ver golos. O primeiro chegou aos 79': Jackson finaliza, mas Carlos Santos ainda desvia a bola para a própria baliza. O segundo e último golo surgiu aos 87 minutos e pertenceu a Brahimi. O argelino recebeu um passe de Tello na sequência de um contra-ataque e finalizou, sem hipóteses para Mika.

Com este triunfo, o FC Porto termina a 22ª jornada como começou: a quatro pontos do líder Benfica.

Recorde os lances do jogo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.