A seleção portuguesa de futebol assegurou hoje o pleno de presenças em Europeus e Mundiais desde 2000, estatuto que comparte com quatro ‘gigantes’, entre eles a França, anfitriã do Europeu de 2016.

Com o triunfo por 1-0 face à Dinamarca, em encontro do Grupo I de apuramento, disputado em Braga, Portugal juntou-se aos gauleses, ao contrário da Alemanha, que perdeu na República da Irlanda (0-1), no Grupo D, e vai ter de esperar pela última ronda, bastando-lhe empatar na receção à Geórgia.

As outras duas seleções que integram este lote podem assegurar a presença em França ainda na penúltima ronda de qualificação: a Espanha se vencer na Ucrânia, sexta-feira, e a Itália se triunfar no Azerbaijão, sábado.

Portugal só necessitava de empatar com a Dinamarca – ou que a Albânia não vencesse a Sérvia, o que aconteceu (0-2) - para selar uma nona presença consecutiva em grandes competições e a oitava qualificação seguida, já que, em 2004, a formação das ‘quinas’ chegou ao respetivo Europeu na qualidade de anfitriã.

Neste período, a seleção nacional chegou a uma final, a do ‘seu’ Europeu, que perdeu em pleno Estádio da Luz frente à Grécia (0-1), e ainda a três meias-finais, dos Europeus de 2000 e 2012 e do Mundial de 2006.

Apesar deste excelente conjunto de resultados, Portugal ostenta o pior registo entre o quinteto que também tem o pleno desde 2000, pois todas as outras seleções conquistaram títulos neste período e têm mesmo o ‘exclusivo’ desde 2006.

A França ganhou o Euro2000, a Itália o Mundial2006, a Espanha arrebatou dois europeus (2008 e 2012) e um campeonato do Mundo (2010) e a Alemanha venceu o Mundial 2014 - só falharam o Mundial2002 (título para o Brasil) e o Euro2004 (Grécia).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.