Em entrevista ao jornal 'Corriere della Sera', Zlatan Ibrahimovic conta como foram os dias em que teve de enfrentar os sintomas provocados pela COVID-19.

"Quando contraí a doença, fiquei bastante calmo. Fiquei quase intrigado, queria ver o que era. Atingiu o mundo inteiro, foi uma grande tragédia e tinha chegado a mim também. Disse a mim mesmo: 'Vamos ver o que acontece'. Tive uma dor de cabeça, não muito forte, mas irritante, e também perdi o gosto. Ficava em casa irritado, não conseguia sair de casa e nem treinar bem. Para mim, ficar parado é assustador", afirmou o avançado do AC Milan.

"A certa altura falava com a casa e chamava as paredes pelo nome. A dado momento só pensava na COVID-19 e imaginava todos os males possíveis em mim, mesmo aqueles que não tinha. É, por um lado, a dor que realmente se sente, mas também a dor que se pensa que sente. É um vírus terrível e que não deve ser desafiado", frisou.

"Sofremos muito, mas devemos levar uma mensagem positiva e de confiança. Use máscaras e mantenha a distância, sempre", rematou Ibrahimovic.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.