A organização dos Jogos Olímpicos de 2020 pondera adiar a prova para 2020, devido ao surto de coronavírus que assola o mundo. Com a tocha olímpica à caminho de Tóquio, é muito pouco provável que este símbolo dos Jogos Olímpicos brilhe no próximo verão, dada aprazada para a realização deste evento, que se realiza de quatro em quatro anos.

Apesar de muitos membros da organização garantirem que não há plano B e que pensam realizar os Jogos Olímpicos nos prazos estabelecidos, tudo irá depender do surto de Covid-19, em forte propagação pelo Mundo, depois de se ter registado menos casos na China, país onde o surto começou. Várias provas de apuramento para os jogos foram adiadas e não há qualquer data para as suas realizações.

Donald Trump deu o mote ao sugerir o adiamento dos Jogos Olímpicos para evitar o risco de as provas olímpicas serem realizadas "com estádios vazios", posição que deverá ser assumida pela organização nos próximos dias, apesar de últimas declarações irem no sentido contrário.

"Nem o Comité Olímpico Internacional (COI) nem o Comité Organizador (de Tóquio 2020) consideraram qualquer adiamento ou cancelamento dos Jogos", disse esta sexta-feira, o ministro dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Japão, Seiko Hashimoto. Posição que tinha sido assumida pelo presidente do COI, Thomas Bach, na Grécia por ocasião da cerimónia olímpica do acender da tocha.

"Estamos absolutamente alinhados com nossos anfitriões japoneses no nosso compromisso de realizar uns Jogos Olímicos seguros em julho deste ano", disse Bach.

Mas o crescimento acelerado da pandemia pelo mundo deverá levar a organização a mudar de opinião. Há cada vez mais infetados e mais de 4.900 pessoas já perderam a vida devido ao surto de Covid-19.

Na quarta-feira, Haruyuki Takahashi, membro do conselho executivo do Comité Organizador de Tóquio 2020, afirmou que o mais "realista" seria adiar os Jogos Olímpicos por um ou dois anos, em vez de cancelá-los.

"Há mais possibilidades no verão daqui a dois anos, porque existe uma lacuna entre outros eventos desportivos internacionais. Se vamos adiar os Jogos Olímpicos, temos que nos preparar agora ... O tempo está a esgotar-se", disse Takahashi ao grupo Asahi.

Em fevereiro o canadiano Dick Pound, do Comité Olímpico Internacional, tinha avançado com uma medida mais radical, ao defender que se a expansão do coronavírus tornasse perigoso para realizar os Jogos Olímpicos, os mesmos deviam ser cancelados em vez de adiados.

Com tantas dúvidas, é mais provável que os Jogos Olímpicos não se venham a realizar no próximo verão. Thomas Bach, presidente do COI já tinha defendido que a organização devia seguir as "recomendações" da Organização Mundial da Saúde (OMS). E essas recomendações vão no sentido de se adiar as provas por tempo indeterminado.

O novo coronavírus responsável pela Covid-19 foi detetado em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.900 mortos em todo o mundo, levando a Organização Mundial de Saúde a declarar a doença como pandemia.

O número de infetados ultrapassou as 131 mil pessoas, com casos registados em mais de 120 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 78 casos confirmados.

Veja neste mapa (alguns) dos eventos já afetados pelo Covid-19

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.