O ex-treinador do Petro de Luanda está rendido ao basquetebol angolano. Alberto Babo afirmou a agência de notícias Angop que o campeonato angolano é muito exigente e extremamemnte competitivo, destacando ainda a rivalidade entre os clubes.

«O campeonato angolano é muito forte, marcou-me o elevado número de jogos e a rivalidade entre as equipas», disse o treinador demitido da formação “petrolífera”.

Babo elogiou o facto de os grandes jogadores estarem divididos entre as melhores equipas, o que proporciona um equilíbrio entre as elas. Mas sublinha que isto prejudica as formações ditas pequenas.

O treinador português que deixou o comando técnico do Petro de Luanda, onde ganhou uma Liga e uma Supertaça Compal, mostrou-se rendido ao talento do basquetebolista angolano:

«Os jogadores têm algo especial, são talentosos por natureza e não aceitam nunca a derrota e isso lhes torna diferentes de muitos. Às vezes perdem-se, por falta de diálogo e um acompanhamento específico, mas de uma forma geral são muito fortes”, salientou, apontando o lançamento exterior como principal “arma”.

Entre os jogadores, há um que se destaca dos outros: «Angola tem grandes jogadores, mas o Cipriano é indiscutivelmente a principal referência. Com a técnica que tem é capaz de não ser egoísta e passar a bola, fazendo jogar os seus companheiros. Se fosse bem acompanhado poderia estar mais distante, quem sabe fora de Angola a jogar ao mais alto nível", realçou em entrevista à Angop.

Os jogadores estrangeiros também foram elogiados na entrevista que Babo concedeu à Angop, com destaque para o cabo-verdiano Rodrigo Mascarenhas do ASA: «É um jogador calculista e muito inteligente. Agora a idade já começa a pesar, mas é um grande atleta», concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.