Lance Armstrong, o ciclista com o maior número de títulos da Volta da França (7), perdeu todas as conquistas após a recusa hoje anunciada em continuar a lutar contra as acusações de doping da Agência Americana Antidoping (Usada).

Recorde a "queda" de Armstrong em algumas datas chave:

20 de maio de 2010 - Após quatro anos de negativas, Floyd Landis, o americano que perdeu o título da Volta da França de 2006 por um exame positivo para testosterona, admite que usou doping durante a carreira para, segundo ele, «aliviar a consciência». Em seguida, acusa Armstrong, seu antigo líder na equipa US Postal, de dopar-se, o que este nega. Landis não apresenta provas, mas as autoridades americanas levam o caso a sério e a Food and Drug Administration (FDA) abre uma investigação, dirigida por Jeff Novitzky, famoso por ter coordenado os trabalhos no caso Balco, que apanhou atletas como a velocista Marion Jones.

22 de julho de 2010 - Enquanto Landis revela na imprensa americana os seus anos de doping, especialmente as sessões de transfusão de sangue com Armstrong, o sete vezes campeão do Tour de France contrata um famoso advogado para sua defesa na investigação federal, que avança com vários depoimentos num tribunal federal na Califórnia. Greg Lemond, o primeiro americano a vencer a Volta da França, critica duramente Armstrong e é um dos que testemunha ante as autoridades, considerando que as investigações levarão a provas «incontestáveis».

Novembro de 2010 - O investigador Jeff Novitzky visita a Europa, especialmente a sede da Interpol em Lyon (França). A organização policial negoceia uma colaboração judicial entre as autoridades europeias e americanas.

19 de janeiro de 2011 - A revista americana Sports Illustrated publica uma reportagem contra Armstrong na qual ele é acusado de ser o "instigador" de um doping organizado dentro da equipa Motorola nos anos 1990.

21 de abril de 2011 - Apesar dos poucos detalhes divulgados da investigação, o jornal italiano La Gazzetta dello Sport informa a colaboração das autoridades de diferentes países europeus (Itália, França, Suíça e Espanha) com os investigadores americanos, especialmente sobre aspectos financeiros de Michele Ferrari, o polémico preparador físico italiano de Armstrong.

21 de abril de 2011 - Outro astro do ciclismo americano suspenso por doping, Tyler Hamilton, declara ao canal CBS ter visto Armstrong injetando EPO durante o Tour de France de 1999, o ano de seu primeiro título no evento. Forçado a devolver a medalha de ouro conquistada nos Jogos Olímpicos de Atenas-2004, depois de ter sido apanhado num controlo e ter confessado o doping, Hamilton voltou à carga um ano mais tarde, denunciando um exame positivo de Armstrong na Volta à Suíça de 2001 pelo qual o ciclista texano não foi punido. A União Ciclista Internacional (UCI) nega ter efetuado o exame, como havia afirmado Hamilton. «500 exames antidoping em todo o mundo, tanto fora como em competição. Nunca positivo. Os factos falam por si mesmos», referia Armstrong.

20 de maio de 2011 - O canal CBS informa que George Hincapie, o único ciclista que acompanhou Armstrong nos sete títulos do Tour, teria admitido aos investigadores que viu o amigo recorrer ao doping. Hincapie não confirmou nem desmentiu a informação.

3 de fevereiro 2012 - A justiça americana abandona a investigação federal sem explicar os motivos da decisão. Enquanto a justiça federal desiste, a justiça desportiva prossegue as averiguações e a Usada anuncia que continua com a própria investigação. 

13 de junho 2012 - A Usada anuncia a abertura de um processo disciplinar por doping contra Armstrong e cinco colaboradores na equipa US Postal: Johan Bruyneel, Michele Ferrari, Luis del Moral, Pedro Celaya e Pepe Martí. O texano, de 40 anos, é proibido de participar em provas de triatlo, desporto que adotou após o fim da carreira como ciclista profissional.

9 de julho - Denunciando uma vingança pessoal de Travis Tygart, Lance Armstrong lança um contra-ataque nos tribunais civis para tentar interromper o processo da Usada. O ex-ciclista processa num tribunal federal de Austin a agência antidoping, por considerar que esta não respeita o seu direito a um processo justo.

10 de julho - O preparador físico Michele Ferrari, o médico Luis del Moral e o técnico Pepe Martí são os primeiros protagonistas punidos pelo resto da vida por um sistema de doping organizado na equipa US Postal.

20 de agosto - O juiz do tribunal federal de Austin rejeita o requerimento de Armstrong porque, segundo o magistrado, não compete aos tribunais americanos julgar um problema desportivo. O ciclista fica com poucos dias para decidir se pede ou não um processo arbitral à Usada.

23 de agosto - Lance Armstrong anuncia que desiste de contestar as acusações de doping da Usada. «Hoje, viro a página», escreve no Twitter. Pouco depois, a Usada anuncia a retirada de todos os resultados desportivos do ciclista a partir de 1º de agosto de 1998, incluindo as sete vitórias na Volta da França (1999-2005) e sua exclusão definitiva do ciclismo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.