A Agência Mundial Antidopagem (AMA) e a União Ciclista Internacional (UCI) revelaram hoje que recuperaram as amostras de sangue e os sacos de plasmas da “Operación Puerto”, o maior caso de dopagem na última década em Espanha.

“A AMA e a UCI vão continuar o seu trabalho conjunto de investigação sobre a ‘Operación Puerto’ e consideram todas as opções legais possíveis”, destacou a AMA em comunicado, depois de ser conhecida a decisão da Audiência provincial de Madrid de entregar os citados sacos às autoridades antidopagem competentes.

Em maio de 2006, 211 sacos de sangue e plasma foram apreendidos pela polícia espanhola nos escritórios do médico Eufemiano Fuentes, no âmbito de uma rusga relacionada com o desmantelamento de uma rede de dopagem espanhola, com ramificações em várias modalidades.

O tribunal madrileno decidiu, a 14 de junho, absolver os dois únicos condenados na ‘Operación Puerto’, o médico Eufemiano Fuentes e o preparador físico José Ignacio Labarta, e entregar as provas do julgamento, que se realizou no primeiro semestre de 2013.

Apenas cinco ciclistas foram condenados no âmbito do escândalo que abalou o desporto espanhol.

Os sacos de sangue e plasma estão agora armazenados num laboratório acreditado pela AMA fora de Espanha.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.