O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, retirou esta segunda-feira o convite para visitar a Casa Branca feito à equipe dos Philadelphia Eagles, atuais campeões da NFL, alegando que alguns dos seus jogadores se ajoelharam durante o hino nacional em sinal de protesto.

"Os Eagles não poderão vir com a sua equipa completa à Casa Branca amanhã", disse Trump em um comunicado. "Não concordam com o seu presidente, porque ele quer que fiquem parados orgulhosos para o hino nacional, com a mão no peito, em honra dos nossos militares e do povo do nosso país".

Trump mantém um conflito aberto com os jogadores da NFL que protestaram contra a violência racial nos Estados Unidos, e afirmou no mês passado que estes atletas "não deveriam estar no país".

Alguns jogadores dos Eagles já haviam rejeitado o convite de Trump, que recebe tradicionalmente as equipea campeãs das quatro grandes ligas profissionais na Casa Branca.

"Os Eagles queriam enviar uma delegação reduzida, mas os mil adeptos que vão ao evento merecem algo melhor. Estes adeptos continuam convidados para a Casa Branca para participar noutro tipo de cerimónia, em honra do nosso grande país", completou Trump.

A equipa da Filadélfia respondeu com um breve comunicado, no qual afirmam que "ver toda a comunidade dos Eagles junta tem sido uma inspiração. Estamos realmente agradecidos por todo o apoio que recebemos e agora procuramos continuar com os preparativos para a temporada 2018".

No ano passado, Trump descreveu os jogadores que se ajoelham em protesto pela injustiça racial durante o hino nacional de "filhos da p..." que insultam a bandeira e a Nação. As declarações provocaram uma onda de protestos em toda a liga em setembro, o que enfureceu alguns adeptos e deixou vários conservadores, donos de equipas e que apoiam Trump, numa posição incómoda à medida que as audiências dos jogos na TV registavam uma queda.

No fim de maio, os proprietários das equipas anunciaram que os jogadores terão a obrigação de permanecer de pé ou ficar no vestiário durante o hino nacional antes das partidas. Trump considerou todavia que "ficar no balneário durante o hino nacional é tão desrespeitoso para o país como ajoelhar".

Procurando esclarecer melhor a situação Trump acrescentou ainda que os Philadelphia Eagles "foram convidados para a Casa Branca, mas apenas um pequeno número de jogadores decidiu vir, pelo que cancelámos o evento".

Notícia atualizada às 11h58

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.