A seleção portuguesa de futebol de sub-21 perdeu hoje, em Portimão, com o Japão (2-1), em jogo particular de preparação para o Campeonato da Europa de 2023, marcado pelas lesões madrugadoras dos dois elementos do ataque.

No segundo e último jogo particular do estágio algarvio, concluído esta terça-feira, Portugal viu-se privado de Fábio Silva e Tiago Gouveia nos 20 minutos iniciais, antes de Yutaro Oda abrir o ativo (21) para os nipónicos.

Fábio Vieira ainda empatou, de penálti (78), mas Shota Fujio, nos descontos (90+2), assinou o golo que impôs o primeiro desaire dos sub-21 lusos desde a derrota com a Alemanha, na final do Europeu de 2021, após o qual Portugal somava um ciclo de 11 vitórias e um empate.

Na fase final do Europeu de sub-21, que se disputa na Geórgia e na Roménia em 2023, Portugal integra o Grupo A, defrontando Geórgia (21 de junho), Países Baixos (24) e Bélgica (27).

Em relação ao triunfo de sexta-feira (5-1) sobre a República Checa, jogado também no Municipal de Portimão, Rui Jorge operou quatro mudanças no 'onze' luso, com as entradas de Samuel Soares na baliza, Afonso Sousa no meio-campo e Tiago Gouveia e Fábio Silva no ataque.

Se com os checos o jogo começou bem, com dois golos nos 10 minutos iniciais, hoje assistiu-se ao 'reverso da medalha', com as lesões das duas apostas para o ataque da equipa das 'quinas' logo no quarto de hora inicial.

Fábio Silva chocou com o guardião nipónico na primeira jogada da partida, aos 10 segundos, ainda tentou voltar ao jogo, mas seria substituído por Vitinha, aos seis minutos, enquanto Tiago Gouveia, com aparente lesão muscular na coxa direita, saiu para entrar Francisco Conceição, aos 20.

Como se não bastasse, a 'onda' de azar dos portugueses prosseguiu logo a seguir com o golo do Japão (21), numa 'cabeçada' de Yutaro Oda, após cruzamento da esquerda de Kashif Bangnagande.

Com os portugueses ainda a tentarem 'encaixar' a entrada aziaga no encontro, aos 31 minutos os japoneses estiveram perto do segundo, num lance individual de Koki Saito (31), com excelente 'mancha' de Samuel Soares, mas depois, até ao intervalo, foi Francisco Conceição que protagonizou as melhores oportunidades, obrigando o guardião Zion Suzuki a duas defesas (33 e 45+1) e somando mais um cabeceamento perigoso ao lado (39).

Após o intervalo, os portugueses, com mais três mudanças na equipa, mantiveram o ascendente territorial, mas só ameaçaram depois do quarto de hora, novamente por Francisco Conceição, o elemento mais ativo do ataque luso, mas a pecar na ineficácia.

A equipa das 'quinas' igualou, numa grande penalidade convertida por Fábio Vieira (78), após mão na bola de Shota Fujio, e até esteve perto da reviravolta, em lances de Conceição (86) e Vieira (90+1).

Só que Fujio redimiu-se e, no segundo minuto de descontos, aproveitou a passividade da defensiva lusa, numa jogada confusa, para concluir na pequena área.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.