Matias Morla, advogado e amigo de Maradona, recorreu às redes sociais para acusar as autoridades locais de negligência no socorro a Diego Maradona.

Numa publicação no Twitter, Morla começa por dizer que hoje é "um dia de profunda dor, tristeza e reflexão", apontando depois a mira às autoridades locais.

Quanto à informação da Fiscalía de San Isidro [autoridade local], é inexplicável que durante 12 anos o meu amigo não tenha tido a atenção nem a vigilância por parte do pessoal de saúde competente", começa por dizer antes de revelar que o socorro demorou mais de 30 minutos a chegar à habitação de Maradona.

"A ambulância demorou mais de meia hora a chegar o que foi uma idiotice criminal", disse.

O advogado de Maradona revela ainda que irá pedir uma investigação ao sucedido.

"Isto não deve de ser desvalorizado e vou pedir que se investigue até às últimas consequências. Como dizia Diego: És o meu soldado, atua sem piedade", refere. 

Pom fim, Morla despede-se de Maradona, referindo que o craque argentino "foi um bom filho, foi o melhor jogador de futebol da história e foi uma pessoa honesta"

"Que descanses em paz, irmão", conclui.

Maradona, considerado um dos melhores futebolistas da história, morreu na quarta-feira, aos 60 anos, e o anúncio público foi feito por Matías Morla.

Segundo a imprensa argentina, Maradona, que treinava os argentinos do Gimnasia de La Plata, sofreu uma paragem cardíaca na sua vivenda em Tigre, na província de Buenos Aires.

A sua carreira de futebolista, de 1976 a 1997, ficou marcada pela conquista, pela Argentina, do Mundial de 1986, no México, e os dois títulos italianos e a Taça UEFA vencidos ao serviço dos italianos do Nápoles.

O Presidente argentino, Alberto Fernández, decretou três dias de luto nacional pela morte de Maradona.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.