É um dos episódios mais negros da história do desporto. Um tragédia que vitimou 131 pessoas, de acordo com os últimos dados conhecidos num jogo de futebol disputado na ilha de Java, sendo que 400 pessoas ficaram feridas.

Esta verdadeira tragédia, considerada umas das mais mortíferas do mundo, aconteceu quando milhares de adeptos do Arema invadiram no campo, no estádio Kanjuruhan, na cidade de Malang, isto depois da derrota da equipa da casa frente ao Persebaya Surabaya.

Os confrontos originaram a resposta da polícia, que disparou gás lacrimogénio. Os adeptos entraram em pânico e fugiram em direção às saídas. Alguns adeptos acabaram por morrer por asfixia, outros foram espezinhados. Mas os incidentes não terminaram por aí e dois agentes da polícia foram mortos e veículos foram destruídos.

Entretanto as autoridades abriram um inquérito para analisar as ações das forças de segurança. 20 polícias estão a ser alvo de investigação e 10 já foram suspensos.

Infelizmente houve mais catástrofes no futebol ao longo dos anos e relembramos algumas delas, para que não se voltem a repetir.

Camarões - Janeiro de 2022

Ainda este ano uma tragédia assolou também o mundo do futebol. O acontecimento teve lugar no estádio Olembe, em Yaounde, antes da partida frente as comodores, nos oitavos de final da Taça das Naçoes africanas. Os tumultos iniciaram-se à entrada do estádio, o que acabou por causar a morte a oito pessoas. A confusão teve início quando uma multidão tentou forçar a entrada do estádio. Para além dos mortos, 38 pessoas ficaram feridas.

Egito - Fevereiro de 2012

A tragédia de Porto Said teve lugar após um jogo entre o Al-Masry e o Al-Ahly, na altura treinado pelo português Manuel José. Pelo menos 79 pessoas morreram e mais de 1000 ficaram feridas depois de milhares de adeptos terem invadido o campo após a vitória do Al-Masry por 3-1.

O técnico português foi na altura atingido por pontapés e socos na cabeça e no pescoço, após o encontro.

Como resultado desses acontecimentos o tribunal acabou por condenar à morte cerca de dez pessoas envolvidas na tragédia de Port Said. Este episódio manchou a imagem do futebol egípcio e o campeonato parou, obrigando as autoridades a tomar medidas para controlar as claques mais radicais.

Tragédia na Costa do Marfim (Março de 2009)

Pelo menos 22 pessoas morreram e 132 ficaram feridas numa tumulto de enormes proporções na Costa do Marfim, no estádio Houphouet-Boigny, em Abidjan em março de 2009. Pelo menos 22 pessoas morreram e 132 ficaram feridos durante uma partida de qualificação para o Campeonato do Mundo entre a equipa da casa e a seleção do Malauí.

A presença do avançado Didier Drogba no estádio, na altura estrela do Chelsea, contribuiu para a sobrelotação do estádio, e os tumultos resultaram num número avultado de vítimas.

Maio de 2001, Gana

Pelo menos 120 pessoas morreram depois dos adeptos tentarem abandonar o estádio, após a polícia ter lançado gás lacrimogéneo sobre a multidão, num confronto em tudo semelhante à recente tragédia na Indonésia. Depois da equipa da casa, o Accra ter apontado dois golos no final do jogo, no triunfo sobre o Asante Kotoko (2-1), adeptos do Kotoko, descontentes com a situação começaram a arremessar objetos para o relvado. Face à ação das autoridades, alguns adeptos atiraram garrafas e objetos contra a polícia. Numa tentativa de fuga, muitos fãs acabaram esmagados e sufocados até à morte.

Outubro de 1996, Guatemala

Recuando até ao ano de 1996, 84 pessoas morreram e mais de 100 saíram feridas num encontro entre as seleções da Guatelama e Costa Rica. 60 mil adeptos lotaram o estádio, que tem capacidade para 45 mil espectadores.

Antes do início do encontro, e com o estádio a rebentar pelas costuras, alguns adeptos forçaram as entradas, o que resultou num enorme número de vítimas.

Num declaração plena de sentimento, o selecionador da Guatemala deixou a seguinte frase: "O que é que o futebol importa agora." Acabou por ser declarado três dias de luto nacional no país.

Maio 1992, França

A Europa não é órfã no que diz respeito a tragédias no futebol, muito pelo contrário.Num encontro no estádio Armand-Cesari, na Córsega, entre o Bastia e o Marselha, 18 pessoas morreram e 2300 ficaram feridas depois uma bancada ter colapsado.

Perante o entusiasmo em torno da presença no Marselha no estádio, que era na altura a melhor equipa francesa, responsáveis do clube tentaram adicionar maior capacidade ao estádio. A decisão resultou em tragédia e a estrutura acabou por colapsar, pouco depois do início da partida.

Janeiro de 1991, África

42 pessoas morreram durante um jogo de pré-temporada no Oppenheimer Stadium em Orkney entre o Kaizer Chiefs e o Orlando Pirates. Um adepto dos Pirates atacou um adversário com uma faca, o que acabou por originar os confrontos.

Tragédia de Hillsborough - 1989

tragedia de Hillsborough

A tragédia de Hillsborough foi o mais grave incidente ocorrido em Inglaterra e que causou a morte a 96 adeptos no estádio Hillsborough

Às 15:06,do dia 15 de abril de 1989, a meia-final da Taça de Inglaterra entre Liverpool e Nottingham Forest, foi interrompida, no estádio Hillsborough em Sheffield, onde teve lugar a tragédia.

Além de 96 adeptos do Liverpool terem morrido esmagados, ainda mais de 700 outras pessoas ficaram feridas naquele que foi o mais grave incidente relacionado com estruturas de estádios na história do futebol em Inglaterra e um dos piores em todo o mundo.

O esmagamento aconteceu quando algumas barreiras para conter espetadores foram abertas e outras se quebraram com o afluxo de pessoas.

Março de 1988, Nepal

Um correria em direção às saídas após uma tempestade de granizo no estádio nacional de futebol, em Katmandu, acabou por resultar em cerca de 90 pessoas vítimas mortais.

Maio de 1985, Bélgica - Tragédia no estádio Heysel

Tragédia de Heysel vitimou 39 pessoas
Tragédia de Heysel vitimou 39 pessoas créditos: Twitter @KopcastLFC

38 adeptos perderam a vida e mais de 600 ficaram feridos como resultado de confrontos entre adeptos antes da final da Taça dos Campeões entre Juventus e o Liverpool no estádio
Heysel, em Bruxelas.

Os distúrbios iniciaram-se ainda fora do estádio, com provocações, assaltos a joalherias. Mas a tragédia teve lugar dentro do recinto, com o norte do estádio a estar preenchido por adeptos de ambas formações e a estarem separados por pequenas barreiras.

Depois de um primeiro ataque, os confrontos subiram de tom, e as grades que separavam as bancadas cederam e deram lugar à tragédia. Vários espectadores acabaram espezinhados por hooligans ingleses, que se muniram de barras de ferro para agredir os adeptos adversários.

39 mortos foi o balanço final da tragédia e os hooligans ingleses foram responsabilizados. Durante cinco temporadas as equipas inglesas não puderam participar nas competições europeias.

Outubro de 1982, Rússia

Vários adeptos foram esmagados numa partida da antiga Taça UEFA entre o Spartak de Moscovo e a equipa neerlandesa do HFC Haarlem, no Luzhniki Stadium, em Moscovo.

Os números da tragédia não foram revelados durante anos, já que ainda se vivia durante o regime da União Soviética, com as autoridades depois a admitirem a existência de 66 mortos, mas esse número poderá ter sido cinco vezes maior.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.