Eric Murangwa, antigo guarda-redes do Rayon Sport do Ruanda, tem uma dívida de gratidão para com o futebol. O ex-jogador, conhecido como ‘Toto’, partilhou um episódio ocorrido durante o genocídio naquele país em 1994, no qual foi ‘salvo’ pelo facto de ser futebolista.

“O futebol salvou-me a vida, literalmente. Atacaram a minha casa. Desceram a montanha e entraram em todas as casas a chacinar as pessoas. Eu vivia com um colega meu. Atiraram-nos para o chão aos gritos e a apontar-nos as armas. Nós só dizíamos: ‘Não temos nada a ver com isto, somos só jogadores de futebol’, revelou.

“Foi aí que aconteceu um milagre. Um deles atirou um álbum com fotografias da nossa equipa de futebol, que abriu ao cair no chão. Eles desviaram a atenção para o album e um deles perguntou: ‘És o Toto?’ Eu respondi que sim, e a postura dele mudou completamente. Disse aos amigos dele que saíssem de casa e ficámos 15 minutos a falar de futebol. Era adepto do meu clube desde pequeno, e foi por essa razão que nos pouparam a vida, a mim e aos meus colegas”, confidenciou Murangwa.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.