O antigo selecionador da Bélgica, Marc Wilmots, acusou Thibaut Courtois e o pai do guarda-redes de "venderem" para a Imprensa informações secretas relacionadas com os "diabos vermelhos" durante o Euro2016, em França, competição da qual os belgas seriam eliminados pelo País de Gales nos quartos de final.

"Fazia a minha tática às 18h00 e às 18h15 estava por todo o lado nas redes sociais. Isso quer dizer que um jogador vendeu a seleção, é algo grave. Depois vim a saber por vários jornalistas franceses que tinha sido o pai de Courtois a divulgar a informação", começou por dizer Wilmots em entrevista à BeIN Sports.

"Isso é desrespeitar o teu país. Foi uma vergonha, porque tivemos de esperar uma hora para conhecermos a equipa adversária, foi terrível. O adversário ganha tempo, assim. Fica a saber tudo. No Mundial do Brasil, isso nunca aconteceu", acrescentou.

Thierry Courtois, pai do guarda-redes, negou estas acusações do ex-selecionador.

"Nunca na minha vida comuniquei a constituição da equipa a algum jornalista. Sei o quão delicado é ser um jogador de topo e fazer parte de uma equipa técnica. Odeio fugas de informação", afirmou, citado pelo jornal Dernière Heure.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.