O ex-secretário geral da Federação de Futebol de Andorra (FAF) Tomás Gea e o ex-tesoureiro do organismo José Garcia ficaram hoje em liberdade condicional depois de o juiz de instrução do ‘caso Caucho’ lhes retirar estas medidas de coação.

Tomás Gea encontrava-se em prisão domiciliária e José Garcia em prisão, sendo que a este último será retirado, em princípio, o passaporte e não poderá sair do Principado de Andorra, tendo ainda de se apresentar na sede da justiça andorrenha no dia 01 de cada mês.

O primeiro estava há cinco meses em prisão domiciliária depois de ter deixado a prisão por motivos de saúde e o segundo permanecia há sete meses na prisão, mas só foi apresentado perante a justiça semanas depois do início da ‘operação Caucho’ por se encontrar fora do país.

Os dois antigos dirigentes respondem por crimes de apropriação indevida, administração desleal, fraude à Caja Andorrana da Segurança Social e branqueamento de capitais, tal como o então presidente da FAF, o português Victor Santos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.