O futebolista cabo-verdiano Leleco, médio do Olhanense, deixou de ser representado pela empresa Kool4You, que o acusou de “má conduta” e de “ter assinado por vários clubes na mesma semana”.

O jogador garante que “é tudo falso” e explica: “Se eu assinei por vários clubes, o empresário que diga quais… Renovei apenas pelo Olhanense, sem qualquer intervenção do agente, tal como, de resto, sucedeu nas duas épocas anteriores”, assegurou Leleco ao diário português Record.

O médio garantiu “nem sequer conhecer pessoalmente” o empresário Pedro Silva. “Alguns amigos cabo-verdianos deram-lhe o contacto e enviei-lhe um e-mail, com um contrato, mas nunca o vi nem ele, alguma vez, em dois anos, teve alguma intervenção nos contratos que assinei pelo Olhanense”, adiantou Leleco.

O jogador não esconde que há um ano assinou pelo Real Massamá, quando por motivos familiares tinha decidido morar na zona de Lisboa, mas que depois decidiu permanecer no Olhanense e os responsáveis dos dois clubes entenderam-se.

“Mas também aí o empresário não teve qualquer tipo de intervenção, nem me prestou qualquer tipo de ajuda”, declarou.

Leleco lembrou que “as duas únicas propostas que o empresário me apresentou foram para o Fafe, em Janeiro último, e para o Torreense, recentemente, mas no Campeonato de Portugal apenas joga no Olhanense, e talvez esta última recusa o tenha levado a tomar atitudes “que não compreendo”.

Na recente renovação com o Olhanense “agi sozinho, como sempre fiz ao longo destes dois anos, sem qualquer apoio do empresário, que agora vem exigir 10 por cento do que ganhei, sem que eu entenda porquê. Qual foi o trabalho dele?”

Leleco assegurou “estar de consciência tranquila”, enquanto Pedro Silva acusa ainda o médio, para além de “ter assinado por vários clubes”, de “ocultar a renovação com o Olhanense, negada pelo próprio mas depois confirmada pelo clube”.

Pedro Silva, numa publicação nas redes sociais, salientou que não pode admitir “tal conduta e seguem-se os trâmites legais, pois não chega só ter talento natural no campo, se a cabeça não funciona. Não posso deixar que um jogador estrague a credibilidade da minha empresa, que tanto custa construir com trabalho, dedicação e qualidade nas apostas cada vez mais visíveis”.

A administração da SAD do Olhanense está a prestar apoio a Leleco, que se mostra agradecido pela forma como tem sido tratado.

“Mesmo com o futebol parado continuaram a pagar os salários e tenho uma dívida de gratidão para com este clube”, conclui o médio cabo-verdiano.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.