O guarda-redes Gordon Banks, lenda do futebol e campeão do mundo com a Inglaterra em 1966, faleceu aos 81 anos, anunciou nesta terça-feira o Stoke City, um dos clubes que representou durante a sua carreira.

Banks, que disputou todas as partidas do Campeonato do Mundo da Inglaterra em 1966, também entrou para a história por aquela que é considerada a "defesa do século", numa cabeçada de Pelé no Mundial do México em 1970, numa partida a contar para a fase de grupos que o Brasil venceu a Inglaterra por 1-0, com um golo de Jairzinho.

A família de Banks, que perdeu um olho num acidente de carro em 1972, confirmou que o guardião morreu enquanto dormia.

"É com grande tristeza que anunciamos que Gordon morreu em paz esta noite", referiu a família do antigo guarda-redes.

"Estamos devastados pela sua perda, mas temos muitas memórias felizes e não podíamos estar mais orgulhosos dele", acrescentam.

Geoff Hurst, que marcou um 'hat-trick' na vitória por 4-2 frente à Alemanha Ocidental na final do Mundial em Wembley, deixou nas redes sociais um tributo ao antigo colega.

"Muito triste depois de ouvir a notícia de que o Gordon morreu. Um dos maiores", escreveu Hurst no Twitter

"Os meus pensamentos vão especialmente para a Ursula, Julia, Wendy e Robert. Triste pelo futebol, pelo Stoke City e pelos adeptos ingleses. Vamos sentir a sua falta", acrescentou.

Banks, cuja carreira como futebolista passou, principalmente, pelo Stoke e Leicester City, é o último dos campeões de 1966 a falecer.

O capitão Bobby Moore, o bebé da equipa Alan Ball e Ray Wilson morreram antes de Banks, enquanto vários outros, como Nobby Stiles e Martin Peters, sofrem de Alzheimer.

Gordon Banks, nomeado seis vezes pela FIFA o guarda-redes do ano, foi 73 vezes internacional por Inglaterra e fez parte da equipa campeã mundial em 1966, depois de vencer Portugal na meia-final (2-1) e a Alemanha na final em Wembley (4-2, após prolongamento).

Diante de Portugal, o guarda-redes, nascido em Sheffield, sofreu o primeiro golo no campeonato, com Eusébio a marcar de grande penalidade quando o resultado já estava em 2-0, após um ‘bis’ de Bobby Charlton.

O guarda-redes viu no campeonato do mundo de 1970 a detentora do título perder nos quartos de final com a Alemanha, num campeonato que seria conquistado pelo Brasil.

Na carreira, o guarda-redes inglês passou pelo Chesterfield, equipa em que começou nos juniores, Leicester e Stoke City.

Aos 35 anos, foi forçado a deixar de estar ao mais alto nível, depois de um acidente que lhe tirou parte da visão do olho direito, mas ainda jogou pelos norte-americanos do Cleveland Stokers, sul-africanos do Hellenic e irlandeses do St.Patricks.

Recorde a "defesa do século" de Banks:

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.