Preparar um Campeonato do Mundo em apenas uma semana é o desafio dos países classificados para a competição que vai ter lugar este ano no Qatar (20 de novembro a 18 de dezembro), onde os jogadores chegam sem um período de preparação nem jogos amigáveis, com o risco de se apresentarem condições físicas diferentes e de "grandes surpresas" em termos desportivos.

Enquanto as seleções iniciaram esta semana os seus últimos compromissos da FIFA antes do Mundial, o calendário atípico e sobrecarregado antes do torneio, disputado pela primeira vez no final do ano, não deixará margem para erro a nenhuma das 32 equipas.

Entre o último fim de semana dos campeonatos locais, agendado para 12 e 13 de novembro, e o jogo de abertura do Mundial entre Qatar e Equador, os jogadores terão apenas sete dias de preparação, ao invés das habituais três semanas.

"Os técnicos vão ter que se adaptar e rezar", diz à AFP Nicolas Dyon, preparador físico com passagens em vários clubes de França, como Nice, Rennes e Saint-Etienne, que considera que a forma física dos atletas estará nas mãos de cada clube. "É muito problemático em termos de fisiologia e rendimento. É como jogar no cara ou coroa".

Os treinadores tentam relativizar, destacando que todos estarão nas mesmas condições. "O facto de não ter a possibilidade de disputar um jogo antes do torneio é lamentável", disse na semana passada o comandante da Seleção Francesa, Didier Deschamps.

"Não muda a minha forma de trabalhar. Como é algo que condiciona todos os treinadores, não perco energia. Quanto tempo tenho para trabalhar? Três dias? Três dias. Uma semana? Uma semana. Se pudesse ser um mês, seria maravilhoso, mas também entendo que parar os campeonatos e dar um tempo para que as seleções se preparem deixa todos com o mesmo problema, então é justo", afirmou o Selecionador Espanhol, Luis Enrique.

Se a França, atual Campeã do Mundo, que se estreia na competição no dia 22 de novembro contra a Austrália, não pensa em disputar um amigável, não é o caso da Alemanha, que se vai estrear um dia depois.

A tetracampeã mundial planeia uma minietapa de preparação em Omã de 14 a 17 de novembro, com um amigável frente a seleção desse país no dia 16.

A Argentina jogará nessa mesma data outro amigável contra os Emirados Árabes Unidos. Um dia depois, é a vez da Espanha enfrentar a Jordânia em Omã, enquanto Portugal encara a Nigéria.

"A preparação do Mundial é completamente diferente das edições anteriores. Temos menos tempo", salientou Olivier Bierhoff, diretor desportivo da Seleção Alemã.

Outras seleções, como o Qatar, terão os seus jogadores libertados mais cedo pelos seus clubes para terem mais tempo de preparação, o que promete uma grande disparidade física entre uma equipa e outra.

"A minha opinião é que vamos ter grandes surpresas no Mundial. Equipas que não estão entre os favoritos irão estar em grande forma", analisa Nicolas Dyon, ex-preparador físico da Seleção do Qatar no início dos anos 2000. "Vamos a um país com muitas incertezas em termos de humidade. Como os jogadores vão se adaptar? As equipas pequenas podem se aproveitar de tudo isso".

O técnico da Seleção Brasileira, Tite, já explicou que será obrigado a escolher os jogadores em função da sua forma física, independentemente do seu status, e Deschamps acabou por concordar quando advertiu que só convocará Paul Pogba, que está em recuperação de uma cirurgia no joelho, se estiver totalmente "apto".

"O nosso primeiro jogo será só dez dias depois da chegada dos jogadores à concentração. Por isso, ou está em forma ou não entra na lista", atirou Tite em entrevista à 'TV Bandeirantes'.

O único aspeto positivo de um Campeonato do Mundo a meio da temporada europeia será que os os jogadores estarão menos cansados, sem o peso de um ano inteiro nas pernas.

"Os jogadores vão estar menos fadigados, em termos físicos e mentalmente", considerou Cléber Xavier, assistente de Tite, ao site 'ge'.

"Não será possível dizer que jogaram 60 jogos", confirmou Nicolas Dyon, que no entanto adverte que a forma física dos jogadores "depende de terem feito uma grande preparação na pré-temporada".

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.