O treinador do Spartak Moscovo, Valeri Karpin, disse hoje que a sua equipa não merecia perder, mas poderia até ganhar se concretizasse as oportunidades de golo frente ao FC Porto, em jogo da Liga Europa de futebol.

«Tenho queixas do nosso ataque. Podíamos ter saído para o intervalo a vencer, mas desperdiçámos várias oportunidades de marcar», disse o técnico, referindo-se à derrota (5-2) sofrida em casa diante do FC Porto, que assim passou às meias-finais da competição com um total de 10-3.

Segundo Karpin, «o facto de ter sido a única equipa russa a chegar aos quartos-de-final da Liga da Europa é positivo, mas foi negativo ter perdido os dois jogos com o FC Porto».

Quando confrontado com a pergunta de se o Spartak não pretendia comprar algum dos jogadores do FC Porto, Karpin respondeu: «O FC Porto não vendeu Falcao ao Arsenal por 25 milhões de euros e acho que ele não quererá jogar na Rússia nem por 50 milhões».

«Além disso, quando Wellinton está em forma, ele não é pior do que Falcão», acrescentou.

Tikhonov, jogador do Spartak, considerou o resultado «muito mau». «Foi triste termos criado oportunidades e não termos marcado. Pior ainda foi o facto de terem entrado quase todas as bolas que chegaram à nossa baliza», acrescentou.

Um dos mais conhecidos jogadores da equipa russa considera que a sua equipa «alegrou os adeptos com o seu ataque» e que foram apoiados até ao fim.

O avançado Dzyuba considerou o resultado «um choque», mas apelou a não desesperar. «Devemos avançar, esquecer este resultado e continuar», frisou.

Quando lhe perguntaram como é que se sentia como o melhor jogador em campo, respondeu: «Como posso ser o melhor, se perdemos 2-5?».

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.