A reacção deve-se às afirmações do treinador do Inter sobre o Ramadão e o seu efeito nos jogadores muçulmanos, mais concretamente sobre o médio Muntari. "Penso que o Mourinho devia falar menos", afirmou Mohamed Nour Dachan, presidente da União das comunidades e organizações islâmicas de Itália.

O líder religioso assegurou que "um jogador muçulmano não está enfraquecido". "Nós sabemos, graças ao Instituto de Medicina desportiva,
que a estabilidade mental e psicológica dá uma certa vantagem dentro de
campo", acrescentou.

Já Mourinho defendeu após o desafio com o Bari (1-1), no domingo, que "o Ramadão não surge no momento ideal para um
futebolista". "Com este
calor, não é positivo que ele faça o jejum."

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.