O presidente e treinador do Pinheirense admite que o objetivo do clube era manter-se na 1.ª Divisão distrital de futebol de Aveiro, mas apanhou-se com “um Ferrari” nas mãos e subiu à Divisão de Elite.

Vítor Costa acumula, desde a terceira jornada de 2021/22, as funções de dirigente máximo do pequeno clube de Pinheiro da Bemposta, no concelho de Oliveira de Azeméis, e acabou por conseguir a subida de escalão, apesar de ter iniciado o seu percurso também com uma derrota.

“O objetivo, quando preparei a época com o ‘mister’ Alex [Alexandre Ferreira] era a manutenção. Tínhamos subido à 1.ª divisão há pouco tempo e não queríamos dar o pulo assim de um momento para o outro. Mas quando temos um Ferrari nas mãos, queremos é andar com ele”, disse à agência Lusa.

O ‘Ferrari’ foi conduzido pelo presidente e treinador, mas nas fichas de jogo, no lugar de ‘piloto’ principal, constava o nome do adjunto João Casal, uma vez que Vítor ‘Manilhas’, assim conhecido localmente pela sua atividade profissional a fazer poços, nem sequer tem curso de treinador que o habilitasse a orientar oficialmente a equipa.

Nas ‘mãos’ de Alexandre Ferreira, o Pinheirense sofreu duas derrotas nos primeiros dois encontros, mas a primeira ‘curva’ também não foi famosa para Vítor Costa, com o clube a somar a terceira derrota em três jogos na 1.ª Divisão da Associação de Futebol (AF) de Aveiro.

Depois, o carro estabilizou e foi sempre a ‘acelerar’ até à ‘meta’.

“O Alex viu que não tinha os jogadores com ele e foi honesto comigo, pediu para sair. Foi embora numa sexta-feira e só tive uma hora para estar com os jogadores antes do jogo. Perdemos 3-2, mas acho que depois consegui levantar a cabeça dos atletas e foi bom”, comentou.

De resto, o objetivo do clube não era a subida, nem tão pouco o objetivo de Vítor Costa era manter-se ao ‘volante’ durante toda a temporada, mas, ao mesmo tempo que procurava outro treinador para assumir o comando da equipa, “as coisas foram andando no bom sentido”.

A procura por um novo técnico vai, agora, ser retomada, uma vez que Vítor Costa prefere arranjar um treinador que leve o Pinheirense à manutenção na Divisão de Elite em ‘velocidade de cruzeiro’.

“Vou passar a pasta. É muita dor de cabeça, tenho muita coisa na vida pessoal e, claro, também quero continuar a fazer algo pelo clube, como presidente. O objetivo, agora, é fazer uma boa equipa para conseguir a manutenção”, garantiu.

Até lá, Vítor Costa ainda vai tentar levar o Pinheirense ao título da 1.ª Divisão da AF Aveiro, mas precisa de vencer no terreno do São Roque, no domingo, e esperar que o Valonguense, líder da Zona Sul, ‘derrape’ na receção ao CR Antes.

Os dois primeiros classificados, Pinheirense e Valonguense, já garantiram a subida à Divisão de Elite, mas apenas o vencedor da série irá disputar com o campeão da Zona Norte o título da 1.ª Divisão.

O Pinheirense é um pequeno clube de Pinheiro da Bemposta, no concelho de Oliveira de Azeméis, fundado em 1967 e que conta com “cerca de 240 sócios”.

“O clube é pequeno. Não temos uma zona industrial, não temos aqui grandes empresas e vamo-nos governando com aquilo que temos”, descreveu Vítor Costa.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.