Há precisamente um ano, a euforia instalava-se em Madrid, com a chegada do português José Mourinho. O técnico chegava ao Santiago Bernabéu poucos dias depois de ali ter ganho a Liga dos Campeões, que lhe permitia ingressar no colosso espanhol com otítulo de campeão europeu.

Ao fim de um ano, apenas coleccionou a Taça do Rei, um feito que o Real já não conseguia ia para 18 anos. O adversário foi o Barcelona. E se Mourinho ‘sofreu’ nas mãos do arqui-rival: quatro clássicos em 18 dias, que resultaram em dois empates, uma derrota e uma vitória. E Mou não esquecerá o primeiro duelo para o campeonato, em Camp Nou, na mais pesada derrota da sua carreira: 5-0.

A época teve, também, as já ‘costumeiras’ guerras de palavras sobre a arbitragem e se Mourinho é amado pelos seus jogadores, que o defendem até à morte, já desta vez não caiu nas boas graças do director desportivo Jorge Valdano, ícone madridista. Caiu Valdano, mantem-se o técnico luso.

Até a impresa espanhola, quando questionada sobre se Mourinho é o técnico mais difícil com o qual alguma vez tiveram de lidar, a resposta é pronta: «É um prazer! Um homem inteligentíssimo», disse Marco Ruiz, jornalista do espanhol AS, ao SAPO Desporto, em Portugal por estes dias seguindo atentamente Fábio Coentrão.

Mourinho vai entrar na segunda temporada, naquele que é um desafio constante.

Reveja em vídeo a chegada de Mourinho a Madrid.