O Benfica entrou a vencer na edição 2010/11 da Liga dos Campeões, ao vencer o Hapoel Telavive por 2-0, golos de Luisão (21 minutos) e Cardozo (68’) no estádio da Luz, que marcou também a estreia de Jorge Jesus na Liga milionária.

O resultado é mais dilatado do que a exibição faria supor. Faltou ao Benfica velocidade, a grande diferença para a equipa que a época passada apenas perdeu dois jogos do campeonato e só foi travado pelo Liverpool nos “quartos” da Liga Europa. A defesa também não tem sido intransponível. Por outro lado, Roberto esteve em noite sim, negando dois golos certos aos israelitas, com duas grandes intervenções.

Aos 21 minutos, a Luz pode gritar golo. Canto de Aimar batido na esquerda, para longes, Carlos Martins recupera e num cruzamento milimétrico coloca a bola na grande área para o remate de primeira de Luisão.

No entanto, pertencia ao Hapoel a maior posse de bola e Vermouth provocou alguns calafrios, mas fez Roberto brilhar. O extremo conseguiu romper e rematou para uma primeira defesa à queima-roupa do espanhol e na recarga, Roberto conseguiu sacudir o perigo.

Carlos Martins voltou a estar em destaque aos 27’ com um passe rasgado para Aimar, que, na cara de Enyeama, ainda conseguiu tocar na bola, com o remate a sair ao lado.

Aos 36’, Roberto voltou a brilhar, desta vez foi Bondarv que rematou. O lateral direito rematou em trivela à entrada da área para um voo do espanhol.Pouco depois, na outra área, Carlos Martins, depois de um passe em esforço do camisola 10, a rematar ligeiramente ao lado, na melhor oportunidade do 2-0.

Ainda no primeiro tempo, Luisão parece agarrar Schechter, aos 16', na grande área, ficando uma grande penalidade por marcar. 

Na segunda parte o Benfica não melhorou, ainda para mais com dois dos seus maiores intervenientes, Aimar e Carlos Martins, a darem mostras de desgaste.

O Hapoel entrou à procura do golo do empate, sempre a solicitar Vermouth, o melhor desta equipa israelita, a assustar um hoje intransponível Roberto. Aos 55’, o israelita, à entrada da área e sem oposição, teve tempo para tudo, mas o remate saiu ao lado.

O Benfica ganhou mais acutilância com a saída de Gaitán para a entrada de Maxi Pereira, com Ruben Amorim a avançar no terreno. E desta dupla sairia o golo da vantagem, oferecido a Cardozo, aos 68’, mas, inusitadamente, o tento quase não foi festejado pela equipa e Cardozo acabou mesmo por ser assobiado pelo público, por mandar calar os adeptos.

Aos 79’, Ruben Amorim e Saviola desperdiçaram uma grande oportunidade. O camisola 5 rematou, o guardião do Hapoel, com uma grande defesa à queima-roupa, e Saviola na recarga chutou por cima.

Quase no final do encontro, Tamuz enviou uma bola ao poste, em que Roberto nada podia fazer.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.