É oficial, o Flamengo acaba de confirmar em comunicado o adeus de Jorge Jesus ao clube.

Comunicado do Flamengo:

O Clube de Regatas do Flamengo informa que, em reunião realizada na tarde desta sexta-feira (17), o técnico Jorge Jesus comunicou que, exercendo seu direito contratual, está se desligando do Clube para voltar para Portugal.

Apesar de lamentar a perda de seu vitorioso técnico, o Flamengo respeita esta decisão pessoal. Nos 13 meses que Jorge Jesus dirigiu nosso time de futebol profissional, o Flamengo teve uma performance espetacular, conquistando a Copa Libertadores (2019), o Campeonato Brasileiro (2019), a Supercopa do Brasil (2020), a Recopa Sul-Americana (2020), a Taça Guanabara (2020) e, na última quarta-feira (15), o Campeonato Carioca (2020). Em nome de toda a diretoria e dos 42 milhões de rubro-negros que formam a Maior Torcida do Mundo, o nosso maior agradecimento a ele e toda sua comissão técnica por tudo o que foi feito e o nosso desejo que continuem mantendo o enorme sucesso como tiveram conosco.

O Flamengo, seguindo o que seu hino preconiza - e que tão bem Jorge Jesus representou - continuará no seu objetivo de sempre: Vencer, vencer, vencer!

Um ano e seis troféus depois, o adeus ao 'Fla'

Jesus chegou ao Flamengo em junho de 2019 e, em quatro meses, alcançou o auge, com a conquista do Brasileirão e da Taça Libertadores. Troféus aos quais juntou, depois, a Supertaça Sul Americana, a Supertaça do Brasil, a Taça Guanabara e, já esta semana, o Campeonato Carioca. Acabaria por ser o seu último troféu ao leme dos 'rubro-negros'.

Vice-presidente do Flamengo já reagiu à saída de Jorge Jesus

Marco Braz, vice-presidente do Flamengo, numa curta declaração publicada na rede social Twitter, referiu: "Deu tudo certo...".

Acompanhando esta mensagem, uma foto de um abraço entre o próprio e Jorge Jesus, após a conquista de um troféu.

Situação da pandemia condicionou e apressou o regresso a Portugal

Tal como a imprensa brasileira reconhece, para a saída do técnico terá pesado, como é óbvio a questão da pandemia do novo coronavírus no regresso do técnico a Portugal. Era um das principais motivações de Jesus: Tentar ganhar o Mundial de clubes, mas a situação provocou uma grande indefinição do calendário e a competição pode nem sequer acontecer. A distância em relação à família também foi logicamente outro dos fatores.

Aos poucos, uma mudança repentina no comportamento e um silêncio ensurdecedor na atitude do técnico começaram a intrigar a imprensa brasileira, dirigentes e mesmo adeptos do rubro negro.

A própria conquista do Estadual frente ao Fluminense acabou por ter uma festa relativamente contida. Os adeptos já cheiravam o que se avizinhava...o regresso do técnico a Portugal.

O direção do Flamengo confiava na permanência do treinador que deve ter mesmo malas aviadas para o regresso ao clube da Luz.

Tudo parecia delineado. E os inimigos após a partida do técnico para o rival do Sporting fizeram definitivamente as pazes.

A pouco e pouco, o Flamengo já admitia a partida do técnico: "Qualquer que seja o final, vai ser tranquilo" afirmou vice-presidente, poucas horas depois da conquista do Estadual.

Deste lado do Atlântico, Jesus sempre pareceu estar nas cogitações de Vieira. Começou por assombrar o sucessor Rui Vitória, para depois já este ano, pairar incessantemente sobre Bruno Lage, que chegou a abordar publicamente esse assunto em conferência de imprensa. E com grande desconforto diga-se.

Futuro deve passar pelo Benfica

A notícia do regresso do treinador ao comando técnico do Benfica na próxima época começou, aos poucos, a ganhar cor e foi esta sexta-feira dada como certa pela generalidade da comunicação social portuguesa.

Jorge Jesus e o Benfica terão chegado a acordo durante a madrugada e o português deve chegar nos próximos dias ao emblema da Luz para rubricar contrato.

Faltará agora pagar a rescisão do técnico, no valor de dois milhões de euros: Um milhão em salários adiantados pelo mengão, e outro milhão em indemnização.

Já se falou nos nomes de Gerson e Bruno Henrique, como possíveis reforços e que poderão acompanhar o técnico no regresso aos encarnados, mas o vice-presidente do emblema do Rio de Janeiro já deixou um aviso.

Eventual chegada de Jesus deve significar uma mudança de paradigma

Jesus sempre foi a antítese do projeto Seixal. Muitos adeptos não lhe perdoam por exemplo que nunca tivesse dado oportunidade a Bernardo Silva e a outros jovens da Academia que acabaram por fazer o seu percurso no futebol internacional. Jesus, a confirmar-se, será o patrão do futebol encarnado e nunca menos do que isso e o direito à batuta na estrutura só a ele caberá. Isto em matéria de contratações e dispensas.

E se Jesus volta a aterrar na Luz, será porque certamente lhe foi prometido um projeto ambicioso, com milhões para gastar, de forma a poder formar uma equipa competitiva para a Champions. Isto porque ao timoneiro já não chega o título português, a ambição é maior. Certamente nas cogitações vai estar a possibilidade do técnico poder trazer alguns dos magníficos que o ajudaram na sua odisseia no Brasil. A ambição de uma equipa 'made in Seixal' e a dar créditos na Europa vai certamente ficar adiada.

Resta esperar pelos próximos acontecimentos e ver de que forma será construído este Benfica de Jesus em 20/21, num contexto de pandemia e com limitações económicas para todos os clubes. Veremos até que ponto a ambição desportiva não choca com a política financeira do clube e com Domingos Soares Oliveira.

A leme das 'águias, onde esteve seis temporadas, Jesus conquistou 10 títulos, nomeadamente três campeonatos, uma Taça de Portugal, uma Supertaça e cinco edições da Taça da Liga.

É o mais titulado treinador dos ‘encarnados’, que também levou a duas finais da Liga Europa, perdidas para Chelsea (2012/13) e Sevilha (2013/14).

O percurso do 'Mestre da Tática'

Em 2019, mais propriamente em novembro, Jesus viveu a mais bela página enquanto treinador. A conquista da Taça Libertadores, a champions da sul-americana. O sonho só não foi maior, quando acabou por ser derrotado na final do Mundial de Clubes frente ao poderoso Liverpool.

Na 32.ª época enquanto técnico, Jesus está no apogeu e a possibilidade de voltar a competir na competição predileta - A Champions League - terá pesado e muito. Isso e as saudades de casa. Um homem com muitas raízes ao seu pais, onde se fala a língua que bem conhece: A barreira linguística foi sempre o travão maior para outras aventuras em grandes campeonatos como a Premier League.

No Flamengo, em quatro meses, alcançou o auge, a que se somou também a conquista do Brasileirão, mais de três décadas depois de ter assumido o comando técnico do Amora. O coração do 'torcedor' do Fla vai estar certamente estar dividido, um treinador que lhes deu tudo, e lhe trouxe de novo a Taça (Libertadores) conquistada em 1981, mas que agora lhes volta às costas e volta a abraçar o amigo Luís Filipe Vieira.

Com muitos anos de carreira atrás de si, foi no Benfica que ganhou verdadeiro currículo nacional e internacional. Pelo SC Braga já tinha conquistado a Intertoto.

Nos encarnados foi a duas finais consecutivas da Liga Europa: Em 2012/13, perdeu frente ao Chelsea e depois frente ao Sevilha em 2013/14.

No encarnados esteve seis anos, vencendo nada mais nada menos do que 10 títulos e foi mesmo o técnico que mais venceu de águia ao peito.

Em 2009/10 foi campeão no primeiro ano, averbando mais dois campeonatos, uma Taça de Portugal, uma Supertaça e cinco edições da Taça da Liga.

Com os adeptos e a direção agastados depois do 'ajoelhar de Jesus' no Dragão e por um ou outro campeonato que as águias deixaram fugir, o técnico acabou por virar costas à Luz, quando provavelmente já lhe preparavam a 'cama' e acabou por rumar ao rival Sporting. No verdes e brancos esteve muito próximo de quebrar o jejum, ai somar 86 pontos, pontuação no entanto que não foi suficiente para bater Rui Vitória, o homem que lhe sucedeu na Luz.

O técnico voltaria a não ser feliz nas duas épocas seguintes, com o ataque de Alcochete e a final perdida frente ao Aves a marcaram o percurso do técnico. Venceu em Alvalade uma Taça da Liga e uma Supertaça.

Rumou depois ao Al-Hilal, onde acabou por se sagrar campeão da Arábia Saúdita, vencendo precisavamente o Al-Nassr de Rui Vitória.

Em Doha, não venceu o Mundial de Clubes já ao serviço do Flamengo, mas o céu ainda é o limite para o técnico de 65 anos.

A carreira de Jorge Jesus em números

Títulos

1 - Copa Libertadores

1 - Recopa Sudamericana

1 - UEFA Intertoto Cup

1 - Supertaça Arábia Saudita

1 - Campeonato Brasileiro

1 - Supercopa do Brasil

3 - Ligas Portuguesas

1 - Taça de Portugal

6 - Taças da Liga

2 - Supertaças Cândido de Oliveira

Clubes enquanto técnico

- Amora (89-93)

- Felgueiras (93-97)

- União da Madeira (97/98)

- Estrela da Amadora (1998/00)

- V. Setúbal (2000/01)

- Est. Amadora (2001/03)

- V. Guimarães (03/04)

- Moreirense (04/05)

- U. Leiria (05/06)

- Belenenses (06/08)

- Braga (08/09)

- Benfica (09/15)

- Sporting (15/18)

- Al Hilal (2018/19)

- Flamengo (2020-

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.