Jorge Jesus teceu duras críticas à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) por causa da convocatória de Tite para os particulares que a seleção brasileira vai realizar com o Senegal e a Nigéria.

Numa altura crucial da temporada, e antes da primeira mão da meia-final da Taça Libertadores diante do Grémio (3 de outubro), o técnico vai ficar sem Rodrigo Caio e Gabril Barbosa, que foram convocados por Tite, assim como Arrascaeta que vai para o Uruguai.

"Vamos passar agora por um momento complicado em que vou perder os dois convocados pelo Brasil e o Arrascaeta. Num momento muito complicado, decisivo para o campeonato... Não entendo muito bem isto até porque disseram que o Brasil ia convocar um jogador por clube, de modo a não interferir no trabalho das equipas", desabafou Jesus após a vitória frente ao Cruzeiro.

"Se olharmos para a Argentina, vemos que houve o cuidado de não convocar nenhum jogador do Boca nem do River [semifinalistas da Libertadores], que estão em competições importantes no futebol argentino. Mas aqui é mais importante jogar contra o Senegal e a Nigéria que disputar uma competição internacional. É muito mais importante, mas financeiramente, pelos cachês que se pagam às seleções... Só que quem paga aos jogadores são os clubes e não a seleção. Acho que os clubes precisam de ter um pouco mais de força relativamente ao que é o seu produto, e o seu produto são os jogadores", avisou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.