O Bayern tem vivido dias de pesadelo que culminou na saída do seu treinador Carlo Ancelotti. Os empates frente ao Wolfsburgo e Hertha e a derrota pesada frente ao PSG para a Liga dos Campeões colocaram o clube bávaro em crise.

E as críticas já vêm de dentro do clube com o diretor desportivo da equipa Hasan Salihamidzic a ter afirmado no final da partida deste fim de semana frente ao (empate a duas bolas) Hertha que o Bayern "deixou de ser a equipa mais forte da Alemanha".

Com Sagnol no banco, os bávaros voltaram a marcar passo e estão já a cinco pontos da liderança do Dortmund-

Para já, os alemães procuram treinador e Thomas Tuchel, ex-técnico do Dortmund, assume-se como uma alternativa viável.

Depois da saída do italiano, são já inúmeros os episódios que demonstram tumultuoso ambiente que se vive no interior do clube.

De acordo com a revista Kicker, foram reveladas as declarações de Robben, que terá dito que o treinador do seu fillho treinava melhor que o italiano.

Escreve também a revista alemã que os jogadores insatisfeitos com a forma como Ancelotti dirigia os treinos, começaram a treinar à parte e à sua maneira.

O jornal espanhol Marca, citando a imprensa alemã, também adianta que Ancelotti terá tentado forçado a sua saída com as suas escolhas para o onze na partida frente ao PSG. Para o antigo internacional alemão Lothar Matthaus, a equipa escolhida foi uma espécie de "provocação".

Escreve o diario 'Südeutsche Zeitung' que a direção do Bayern pretendia manter Ancelotti até ao final da temporada, mas as convulsões no balneário terão precipitado a saída do italiano.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.