O avançado francês Franck Ribery insistiu que vai abandonar a seleção da França, apesar das ameaças de suspensão do presidente da UEFA, Michel Platini.

“Cheguei a um acordo com o selecionador Didier Deschamps e no futuro quero concentrar-me apenas no meu clube [Bayern de Munique]”, afirmou Ribery ao diário alemão Die Welt.

No curto esclarecimento publicado hoje pelo Die Welt, Ribery preferiu não responder diretamente a Platini, que no domingo ameaçou o jogador com uma suspensão de três jogos caso recuse uma convocatória para a seleção francesa, orientada por Didier Deschamps.

Sobre esta ameaça, Ribery limitou-se a dizer que não entra em “jogos políticos”.

Depois do Mundial2014, prova que Ribery falhou devido a lesão, o avançado do Bayern de Munique anunciou que se retirava da seleção francesa, uma decisão que mereceu o apoio do diretor-geral do clube bávaro, Karl-Heinz Rummenigge.

No domingo, Platini tinha ameaçado suspender Riberty, apoiando-se nos regulamentos da FIFA, que determinam que a decisão final é sempre do selecionador e não do jogador.

“Franck Ribery não pode decidir unilateralmente se joga ou não pela França. Se o selecionador Didier Deschamps o convocar, tem de juntar-se à seleção. Se se negar, será suspenso por três encontros do Bayern”, disse Platini.

Por seu turno, Rummenigge repudiou as ameaças do presidente da UEFA, garantindo que este processo foi “transparente e em conformidade com a FIFA”, após uma conversa com Deschamps.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.